Sindicalistas criticam DTR e cobram mais saúde e segurança no trabalho

Os sindicalistas Sérgio Carneiro e Maria José de Souza, membros do Sindicato dos Técnicos em Segurança no Trabalho (Sindtest), criticam a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Eles afirmam que o órgão não está cumprindo o seu papel, que é garantir segurança e saúde no trabalho. Os sindicalistas querem o imediato cumprimento da Lei 7.410/85, que obriga as empresas a ter pelo menos um técnico em saúde e segurança no trabalho.

“A SRTE não cumpre o seu papel, que é fiscalizar as empresas em suas ações de saúde e segurança no trabalho”, denuncia Sérgio Carneiro, lamentando as constantes mortes e acidentes. Maria José, por vez, critica empresas públicas pelo não cumprimento da mesma lei. “Como estatais deveriam dar o exemplo”, disse ela, lembrando, que, recentemente, houve a morte de um trabalhador em uma empresa pública. 

Além de existir uma Lei Estadual que nunca foi regulamentada, eles também denunciam que o governo estadual e as prefeituras não cumpre outra Lei, a 6.514/77, que versa sobre a prevenção de acidentes. “Por causa dos constantes aumentos nos números de acidentes no trabalho, devido à omissão da STR, poderemos entrar com uma representação na justiça”, ameaçou Sérgio Carneiro.

O Acre é o 5º Estado da Federação com o maior número em acidentes no trabalho. “É incrível como muitos empresários daqui ainda pensam que cuidar da saúde de seus funcionários custa caro.

 Mas quanto vale a vida de uma pessoa?”, questionam os sindicalistas. A reportagem procurou o superintendente do órgão, Manoel Neto Bruzugu, mas ele está viajando. A sua substituta, Maria Bonfim não recebeu a nossa reportagem alegando que estaria ‘ocupada com serviços internos’. 

 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation