Tchê critica a secretária da Mulher na tribuna da Aleac

O deputado Luiz Tchê (PDT) se mostrou indignado, ontem, com o tratamento que recebeu da secretária estadual da Mulher, Conchita Maia. Segundo ele, assessores do seu gabinete que fizeram uma consulta à secretária receberam um tratamento indigno. “Pedimos uma simples consultoria para a secretária da Mulher. Não posso ter dois pesos e duas medidas. Presido a Unale e estamos discutindo as nossas prerrogativas de legislar. Sempre que vamos discutir um projeto chamamos as entidades afins e queremos ser respeitados”, protestou.

O parlamentar explicou o motivo da discórdia com a secretária. “Como era um projeto que garante seis meses de licença maternidade para as funcionárias públicas partu-rientes quisemos ouvi-la. Isso já é lei federal, nada mais justo que estendermos o direito às funcionárias públicas do Acre. A minha secretária foi entrar em contato com a Concita Maia para pedir sugestões. O adjetivo mais leve que ela ouviu foi que eu sou deselegante. Só o Acre e o Maranhão ainda não apresentaram o projeto. Minha assistente ficou apavorada pelos termos que a Concita usou. Sou um parlamentar da base do governo, mas não podemos admitir que uma secretária queira definir o que um deputado pode ou não fazer”, desabafou.

Apesar de garantir que a motivação não foram os argumentos da secretária da Mulher, Tchê resolveu suspender a apresentação do projeto. “Conversei com o Eduardo Farias e vamos fazer os ajustes para reapresentar o ante-projeto. O Eduardo é médico e poderá nos ajudar a apresentar um texto compatível. Mas isso não foi pelo pedido da secretária Concita Maia”, garantiu ele. 

Assuntos desta notícia


Join the Conversation