Produção paraense e acreana estreia no Alexandrino

Uma ampla discussão sobre a fome mundial, não somente física, mas em todos os aspectos. “Seria uma fome metafórica também, mostrando a necessidade por justiça”, explica Roger Elarrat, um dos diretores do documentário “Sem Fastio: Você Tem Fome de quê?”, que ganha estreia hoje no Cine Alexandrino Moreira, do IAP, às 19h. O filme retrata justamente o primeiro Fórum Social Mundial ocorrido na Amazônia.

A proposta do enredo não é expor soluções, opiniões, e, tampouco, conclusões definitivas para os problemas sociais que o mundo vive, e sim abrir um debate sobre o assunto. “Para que as pessoas possam refletir, pensar na situação em que vivemos e dar opiniões”, explica o diretor.

O roteiro aborda as expectativas por um mundo melhor, mostradas a partir de depoimentos dos participantes do Fórum Social. “As esperanças, insatisfações e indignações com a situação mundial dos participantes querendo mudança. Isso é o que é retratado”, diz Áfono Gallindo, coordenador do Núcleo de Produção Digital do Instituto de Artes do Pará.

Para ele, o filme também traz a importância do audiovisual para a sociedade. “Agora todos, não somente quem estava lá, vão poder ver o evento. São opiniões e debates relevantes sobre a América Latina e o mundo”, ressalta, afirmando a necessidade de registrar historicamente o encontro visando imortalizá-lo para as futuras gerações.

Roger conta que o filme mostra o pensamento formado que vários participantes tinham sobre temas contemporâneos discutidos no Fórum, como educação, sustentabilidade, saúde. Indagado se o grande evento poderia ser considerado um divisor de águas nas discussões sociais na Amazônia, Afonso ratifica que foi “o início de um longo percurso a se seguir”, conclui.

Produção – O documentário é uma produção inédita dos Núcleos de Produção Digital do IAP do Pará e do Acre, considera por Afonso como extensa e trabalhosa, até mesmo pela distância geográfica dos estados. “Contou com o empenho grande dos dois NPD para a conclusão do documentário, pois ambos tiveram que viajar para realizar as gravações”, conclui. (Diário do Pará)

Assuntos desta notícia


Join the Conversation