Gazetinhas 26/03/2012

* Bafão do final de semana garantido com a prisão desses dois fiscais da Fazenda e mais um cúmplice por extorsão.

* Que coisa, heim?

* Segundo se comenta, mais coisa cabeluda deve vir à tona no decorrer da semana e mais gente pode ser presa.

* O que impressiona são os valores envolvidos na operação: R$ 400 mil já embolsados e R$ 26 milhões ainda a serem extorquidos.

* Ulha!

* O nome do dono do posto não foi revelado, mas, segundo consta, seria de um posto localizado no Segundo Distrito.

* Pelo sim, pelo não, ponto para o Ministério Público e Polícia Civil pela “Operação Zaqueu”…

* …referência aquele cobrador de impostos dos Evangelhos, baixinho, que subia nas árvores para ver Jesus Cristo passar.

* Até que um dia, Jesus mandou que ele descesse da árvore e lhe passou uma carraspana por cobrar impostos extorsivos dos judeus em favor do Império Romano.

* Além desse bafão, a semana promete também muita fofoca com o jogo dos craques do Congresso, marcado para a próxima quinta-feira….

* … com Romário, Popó, Tiririca, Danrlei e outros, trazidos pelo senador Sérgio Petecão.

* A rigor, deveria ser um jogo beneficente, em favor dos moradores atingidos pela grande cheia do Rio Acre, mas com política no meio tudo pode acontecer.

* Por isso que é bom viver no Acre: pobre ainda, pequeno, mas sempre muito divertido.

* Este fenômeno que está ocorrendo em Brasileia, de um bairro inteiro que pode se tornar boliviano com a queda do barranco do Rio Acre, não é só pitoresco.

* Envolve questões mais sérias.

* A propósito, vale transcrever na íntegra e-mail enviado à coluninha pelo professor Alceu Ranzi:

* “Caro Silvio, vejo nas ‘Gazetinhas’ o teu interesse pelo assunto do provável sacado em que vai se transformar um bairro de Brasileia…”

* “O dr. Evandro Ferreira postou uma foto atual do avanço do rio sobre o estreito ‘istmo’ de terra e isso é preocupante”.

* E continua: “O tema merece atenção das nossas autoridades, desde as municipais, estaduais e até do Itamaraty”.

* Porque, segundo o professor Ranzi, “não são apenas 70 metros; na realidade é uma área de 1.000m x 500m…”

* “…ou seja um bairro inteiro, com cerca de 300 casas, onde há escola, ginásio coberto, ruas asfaltadas, praça etc.

* E o mais grave: “Essa situação deve mexer com a vida de cerca de 1.000 pessoas que nasceram lá, enterraram seus umbigos e se criaram lá. Questão de pertencimento”.

* Concluindo, alerta o professor, “é o velho Rio Acre nos levando novamente à reflexão” e podendo causar novos problemas com os “patrícios” bolivianos.

* Brrrr!

* Segundo Davi Friale, vem frente fria na próxima quarta-feira, mas não confundir com a clássica “friagem”.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation