Agente penitenciário é baleado 2 vezes, em tentativa de homicídio

 O agente penitenciário ‘J.P.’ foi alvejado com dois tiros no braço, disparados supostamente por um ex-presidiário. A tentativa de homicídio ocorreu na tarde deste domingo (25), quando o agepen chegava à casa de sua mãe. O atirador efetuou 3 tiros (mas apenas 2 atingiram o alvo) e depois fugiu. As polícias Civil e Militar estão realizando buscas neste momento na tentativa de prender o autor dos disparos.

 O agente ‘J.P.’ entrou para o sistema carcerário do Estado no último processo seletivo e já sofreu o primeiro atentado contra sua vida.  O motivo seria por vingança à função de agente. 

 De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Acre (Sindap/AC), Adriano Marques, o agente ‘J.P.’ está internado no Pronto Socorro de Rio Branco e não corre mais riscos fatais.

 Adriano, que foi direto para o PS ao ser informado do atentado para prestar apoio ao colega, lamentou o crime e disse que o agente não teve nem chance de se defender, uma vez que o Instituto de Administração Penitenciária do Estado (Iapen) não estaria disponibilizando a cautela de armas institucionais.  “Temos o porte de arma, o que falta ao Iapen é o fornecer as armas. Nem todos os agepens possuem condições de comprar uma particular. Ano passado, a direção do Instituto informou que estava conseguindo 2 mil armas mas até hoje não chegaram”.

 Adriano citou o atentado do agente ‘J.P.’ para reafirmar que esta não é, nem de longe, a primeira vez que os agentes são vítimas das vinganças de ex-presidiários, relembrando os casos dos agepens Ademilton e Elissandro e (o mais grave) da morte do agente Roney.

 Por fim, Marques afirmou que irá protocolar amanhã (26), diretamente no Gabinete do Governador, um pedido de reunião para tratar do que ele considera de ‘mazelas’ do sistema carcerário e na terça ira a Assembléia Legislativa pedir apoio de todos os deputados. “Que sirva de exemplo para os gestores estaduais, quando estive no Distrito Federal, protocolei um expediente no Gabinete da Presidenta Dilma é tive resposta formal em menos de 2 dias.” (Com informações do Sindap/AC)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation