“A JM atua no Estado muito antes de a Delta aparecer”, rebate Tião Viana

cosmic-ElietO governador Tião Viana negou que o Governo do Estado tenha qualquer tipo de negócios com as empresas ligadas à Delta Construções. Em nota publicada na coluna Painel do Jornal Folha de S. Paulo de sábado, dia 28, ele afirma que empresas ligadas à Delta não têm influências no Estado.

“O Acre é terra de planície. Aqui não tem cachoeira, só rios de água limpa e cristalina. A JM atua no Estado muito antes de a Delta aparecer, e nunca houve nenhum problema”, disse o governador Tião Viana à coluna Painel.

Ele rebateu notas publicadas na coluna, no dia 27, afirmando que “as investigações da Polícia Federal sobre empresas suspeitas de ter ligações com o esquema do empresário Carlinhos Cachoeira esbarraram na empreiteira JM Terraplanagem, com sede no Distrito Federal. A JM é citada em diálogo interceptado pela PF entre Cachoeira e Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta, ambos presos”.

A coluna também informou que “a JM recebeu R$ 75 milhões da União em 2011. Parte dos negócios está no Acre, governado por Tião Viana (PT). São obras de urbanização, além de recursos do PAC para a BR-364. Nas eleições de 2010, a empresa doou R$ 170 mil para o PT do Acre e R$ 500 mil para o PSDB do Tocantins, Estado já atingido pelo escândalo”.

Assuntos desta notícia

Join the Conversation