Ji-Paraná: Conclusão de aterro garante tráfego pelo anel viário

O bloqueio parcial da ponte sobre o rio Machado em Ji-Paraná, após o rompimento de uma adutora de água da Caerd,, ocorrido na última quarta (2), não chegou a causar grandes transtornos ao tráfego, principalmente ao transporte de cargas pesadas no local, graças a rápida ação do Departamento de Estradas, Rodagens e Transportes (DER) que em 2 dias concluiu o aterramento da nova ponte do anel viário, construído para retirar o trânsito pesado de dentro da cidade.
 
No sábado, durante solenidade de apresentação do maquinário do segundo ano do projeto Estradão, em Jaru, o governador Confúcio Moura elogiou a intervenção rápida do DER. “Não fosse uma ação rápida, o restante do Estado e até o Acre poderiam sofrer sérios problemas de abastecimento”, disse o governador.
 
Antes da conclusão do aterramento da nova ponte do anel viário, a ponte pela BR-364 em Ji-Paraná era a única ligação terrestre da parte centro-norte de Rondônia, além do Acre e Amazonas, com o restante do país. A ponte ainda continua parcialmente bloqueada pela PRF e numa grande extensão da pista o tráfego está sendo feito em apenas duas pistas, como era antes da duplicação, o que ainda causa lentidão.
 
“Os motoristas de caminhão, principalmente, podem utilizar o anel viário com segurança, e evitar desta forma o tráfego que em dias de normalidade já é intenso no local, passando por fora da cidade de Ji-Paraná”, sugeriu Lúcio Mosquini, diretor-geral do DER. (Assessoria Decom/RO)

Assuntos desta notícia

Join the Conversation