Pular para o conteúdo

Mulheres acreanas continuam sendo as que mais têm filhos, aponta o IBGE

GRAVIDAS Apesar de todos os avanços na área de medidas anticoncepcionais e das ações de conscientização sobre controle de natalidade, o Acre continua sendo o estado brasileiro onde as mulheres mais têm filhos. Segundo o estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o perfil da população do Brasil, divulgado nesta semana, as mulheres acreanas possuem uma média de 2,59 filhos. Isso significa que a cada acreana é de se esperar o nascimento de pelo menos 5 crianças.

 O dado local é bem superior à média em todo o Brasil deste, no qual cada brasileira tem uma média de filhos de 1,77. Ou seja, enquanto no restante do país, as mulheres engravidam menos de 2 vezes, no Acre a proporção de crianças passa perto dos 3 filhos (uma realidade que o Acre deixou pra trás desde o começo da década de 2000). Desde os anos 1970 que estes números vêm baixando. Em 2012, a relação era de que cada acreana dava a vida à 2,82 filhos. Portanto, em 1 ano, houve uma redução de 8,15% (uma das maiores a nível nacional).

 Tanto é que nesta tendência local de quedas, a taxa de fecundidade das acreanas não deve durar muito tempo lá em cima. De acordo com o IBGE, as estimativas para 17 anos no futuro, em 2030, são de que o Acre deve reduzir a sua média de filhos por mulheres em até 32,43%. Isto é, cada acreana passará a ter 1,75 filhos, já aproximando-se da média nacional de filhos por mulher. E também chegará mais perto dos demais estados. Por exemplo, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, DF e RS terão média de 1,45 filho por mulher.

 Por outro lado, o Acre faz parte do grupo de 4 estados que terão um ritmo de envelhecimento da sua população menos acelerado do que no restante do país. Conforme projeções do instituto, o Acre terá, em 2027, uma média de menos de 30 idosos para cada 100 crianças. Já o Brasil terá um número bem maior de idosos para cada 100 crianças.