Pular para o conteúdo

Servidores demitidos protestam contra empresa de ônibus

 Demitidos por justa causa e por motivo banal cobradores, motoristas e fiscais da empresa de ônibus Floresta, realizaram um manifesto na manhã desta quarta-feira, 21. As demissões estão ocorrendo há um ano. Sílvia Pereira demitida por justa causa denuncia que os depósitos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) nunca foram feitos.

 Agora desempregados, destacam que a empresa quer renovar o quadro de servidores e para isso, demite por justa causa e por motivo fútil, para não pagar os direitos dos trabalhadores. “Trabalhei por seis anos na empresa. Quero meus direitos! Existe muita perseguição dentro da empresa. Quem trabalha dobrado é bem visto aos olhos do patrão”, confirma Sílvia.

 Rutinaria Souza também enfrentou a demissão por justa causa e denuncia a falta de condições de trabalho principalmente, para mulheres. “Não temos sequer banheiros nos pontos ou no Terminal. É um absurdo! Os patrões dizem que as mulheres apresentam muitos atestados médicos, por isso a maioria demitida são mulheres”, confirma.

 Sílvia confirma que de cada 10 demitidos, apenas um funcionário recebe os devidos direitos trabalhistas previstos em lei.

 Procurada pela equipe de reportagem a empresa Floresta preferiu não se pronunciar. O presidente do Sindicato dos Transportes Coletivos Rodoviários e Cargas do Estado, STCRC/Acre, Marcus Costa, também não quis se pronunciar a respeito.