Pular para o conteúdo

Ufac desenvolve programa de direitos territoriais na fronteira

 Aprovado inicialmente em 2011, para execução em 2012 e 2013, o programa “Centro de Referência em Direitos Humanos e Territoriais na Tríplice Fronteira do Acre”, de iniciativa dos professores Maria de Jesus Morais (curso de Geografia) e Elder Andrade (Ciências Sociais), ambos da Universidade Federal do Acre (Ufac), vai continuar em 2014 e 2015, com novo financiamento deferido pelo Ministério da Educação (MEC).

 Entre os objetivos da atividade, constam os de produzir informações sobre a situação e a percepção dos direitos territoriais, partindo do ponto de vista das populações tradicionais e dos movimentos sociais na região conhecida como Bolpebra, além de gerar espaços de intercâmbio de experiências, conhecimentos gerais para alunos da área de Ciências Sociais, sobre o tema específico do trabalho desenvolvido.

 De acordo com a professora Maria de Jesus Morais, “a atividade tem se mostrado profícua, uma vez que a interação com a comunidade envolvida, principalmente através das suas lideranças, como, por exemplo, a Federação Campesina de Madre de Diós, tem sido a melhor possível, além de, academicamente falando, já ter rendido várias dissertações de mestrado e monografias de graduação”.

Atividades realizadas e trabalhos acadêmicos

 O ano de 2012, o primeiro do programa “Centro de Referência em Direitos Humanos e Territoriais na Tríplice Fronteira”, foi pródigo em atividades envolvendo as comunidades dos estados/departamentos do Acre, Pando e Madre de Diós. Entre março e dezembro foram realizadas duas mesas-redondas, dois seminários, uma oficina, uma apresentação na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), além de produzidas três dissertações de mestrado.

 Jaime Chávez Elías escreveu a dissertação “Estado Plurinacional, vivir bien y desarrollo em Bolivia: el caso del departamento de Pando”; João Maciel  escreveu “Manejo florestal madeireiro em projetos de assentamento agroextrativistas do Alto Acre: para onde caminham os seringueiros”; e José Mastrangelo Filho defendeu o trabalho “Da Rio 92 à Rio+20: o discurso da economia sustentável e da economia verde”.

“É importante salientar”, explicou a professora Maria de Jesus, “que a Ufac não está sozinha no desenrolar do programa ‘Centro de Referência em  Direitos Humanos e Territoriais na Tríplice Fronteira’. Além de professores, funcionários e estudantes da instituição acriana, são parceiras, nesse empreendimento, a Universidad Amazonica del Pando (UAP) e a Universidad Nacional Amazonica Madre de Diós (Unamad)”.