Pular para o conteúdo

“O povo já deu o seu recado; quem não ouviu estava surdo”, afirma Geraldo Pereira

 O deputado Geraldo Pereira (PT) disse acreditar que a volta dos trabalhos legislativos será tranquila. Entretanto, destacou que deve entrar na pauta de votação a Proposta de Emenda à Constituição Estadual nº 02/2013 de autoria do deputado Gilberto Diniz (PTdoB) que extingue a pensão para ex-governadores.

 Outro assunto que pautará os trabalhos no legislativo acreano é a CPI da Telefonia, proposta pelo deputado José Luís Tchê (PDT), que investigará a atuação das prestadoras de serviços de telefonia móvel no Estado.

 O relatório da CPI ao ser concluído será reunido aos relatórios de outras Assembleias Legislativas do país para então ser encaminhado um relatório final ao Congresso Nacional. Existe uma CPI da Telefonia instaurada na Câmara Federal, entretanto, os trabalhos estão paralisados.

 “Deve também pautar os trabalhos da Aleac é a votação do Orçamento de 2014 que tem até setembro para dar entrada na Casa e poderemos votá-lo até dezembro”, argumenta o parlamentar.

 Ele afirma não acreditar que haverá maiores cobranças dos movimentos sociais. “O povo já deu o seu recado. Quem não ouviu estava surdo. A Casa deverá seguir o seu trabalho firme para atender os interesses do povo certamente”, acrescentou o deputado petista.

 O líder do Partido dos Trabalhadores defendeu a instalação da Reforma Política e frisou que o mandato de parlamentar deveria ser de apenas dois mandatos para não tornar a política uma carreira e desse modo enfraquecer a democracia.

 Geraldo Pereira também defendeu a candidatura ao Senado Federal, do atual senador Aníbal Diniz. Para ele, Aníbal é o nome natural dentro do Partido dos Trabalhadores para disputar a vaga de reeleição. “Sem dúvidas, o Aníbal é o nosso candidato”.

 Quanto ao assunto de uma possível filiação de Marileide Serafim e Chico Viga, ambos do PSD, ao PT, Geraldo Pereira afirmou que a sigla está de portas abertas e que o nome dos deputados podem contribuir para o partido.