Pular para o conteúdo

Associação dos Surdos do Acre realiza ações nesta quinta-feira

A Comunidade Surda Brasileira comemora no dia 26 de setembro o Dia Nacional do Surdo, data em que são relembradas as lutas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade e cidadania. A Associação dos Surdos do Acre (Assacre) realiza ações mostrando para a sociedade que os surdos devem ser respeitados.

A programação começa às 10h na Câmara de Vereadores de Rio Branco. A partir das 16h, com concentração na Praça Plácido de Castro, será realizado um ato para conscientizar sobre a inclusão dos surdos na sociedade. No sábado será promovido um dia de atividades de lazer na Aseel das 9h às 16h. E no dia 30 acontece o I Seminário de Educação de Surdos no auditório da Secretaria Estadual de Educação (SEE).

De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010, cerca de 9,7 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva, o que representa 5,1% da população da população brasileira.

Dentro destas estatísticas estão os estudantes do Ensino Médio Gustavo Marques, Cíntia Valdez, Milena Araújo. Mesmo surdos, eles cumprem as atividades propostas pelo Colégio Barão do Rio Branco, além de cursos profissionalizantes.

Através de uma interprete de Libras (língua brasileira de sinais), Gustavo afirma que, apesar da dificuldade de comunicação, não existe problemas em interagir com os outros alunos. “Quando os gestos não são compreendidos, a escrita completa o processo de comunicação”, explica.

A estudante Milena faz o curso de secretariado e sonha em seguir na profissão. “Tenho 2 grandes amigas na sala de aula que não são surdas. Levo uma vida normal”, confirma.

Já Cíntia Valdez é excelente desenhista e pretende cursar artes cênicas na Ufac. “Tenho dificuldades em interagir, mas poderia ser pior sem a ajuda da intérprete”, conclui.

Os estudantes contam com o apoio da sala de recurso existente na escola que oferece atividades complementares no contra turno. De acordo com os professores Elizanildo Lima e Antonia Diniz, a presença dos estudantes surdos incentivou os outros alunos a aprender Libras com o objetivo de interagir melhor entre eles.

“A sala de recurso existe desde 2008 e atende, atualmente, há 14 anos. Oito deles são surdos”, confirma o professor Elizanildo Lima.

Causas – A surdez pode ter várias causas. Estas, didaticamente, são separadas de acordo com o período de ocorrência. As causas pré-natais se referem a problemas ocorridos antes do nascimento da criança e que podem levar a sua surdez, como por exemplo, doenças adquiridas pela mãe durante a gravidez (sífilis, herpes, caxumba, etc).

Existem as causas perinatais, que se referem à surdez devido a problemas ocorridos no parto (como infecção hospitalar ou o uso de fórceps, por exemplo). E as causas pós-natais, quando a criança fica surda em decorrência de problemas após o seu nascimento (como devido à meningite, sarampo, caxumba, exposição contínua a ruídos e traumatismos cranianos, por exemplo).

E esta deficiência, em qualquer grau, é reconhecida como uma das complicações mais sérias que alguém pode possuir, pois acarreta implicações não só na questão da saúde, como também no comportamento social e emocional dos indivíduos.