Pular para o conteúdo

Estiagem: governo prorroga situação de emergência em 5 cidades acreanas

 Hoje se comemora o Dia da Amazônia, uma data que convida as pessoas a refletirem sobre a atual situação do meio ambiente. No Acre, um fato preocupante é a escassez de água dos rios, que a cada ano se agrava mais nesta época. Diante disso, o governador Tião Viana se viu obrigado a prolongar a situação de emergência em Rio Branco, Xapuri, Epitaciolândia, Brasiléia e Assis Brasil. O decreto foi publicado ontem, no Diário Oficial do Estado.

 O Rio Acre atingiu o menor nível de água do ano, com apenas 1,87m. De acordo com o coordenador da Defesa Civil do Estado (Cedec), coronel Carlos Gundim, renovar a situação de emergência foi importante para a captação de recursos do Governo Federal.

 Em junho deste ano, o governo havia declarado situação de emergência nas 5 cidades devido à permanência da estiagem. A medida considerou o relatório apresentado pela Cedec, que identificou poucas e irregulares chuvas em todo o Estado a partir do mês de abril. “Elaboramos um plano de resposta, com levantamento financeiro, para evitar um caos. A duração do 1º decreto era de 90 dias e, como este prazo expirou, foi preciso prorrogar”, explica Gundim.

 Com o auxílio do Governo Federal, a Defesa Civil alugou um carro pipa e montou uma balsa para receber as bombas fluuantes, já que as bombas esta-cionárias precisam de pelo menos 3 metros para fazer a sucção da água. “O Depasa é que está tocando os serviços e a Cedec os gerencia”, afirma.

 De acordo com o decreto, esses municípios ficarão em situações de emergência até novembro deste ano.