Pular para o conteúdo

Gazetinhas 31/10/2013

* Chuva, muita chuva para anunciar a chegada de novembro.

* Bem que ele avisou…

* Nosso “homem do tempo”, meteorologista Davi Friale agora só prevê temporais, raios, ventanias, até queda de granizo…

* Tem jeito, não. El brujo gosta mesmo é de um superlativo.

* E parece que nossos deputados também.

* Faz parte, senão não tem graça!

* Na sessão de ontem, mais uma polêmica de dar gosto. Agora, sobre a tal PEC das emendas impositivas.

* A comissão especial que analisa a PEC rejeitou por quatro votos a um o relatório do deputado Geraldo Pereira, que se posicionou contra a proposta.

* Segundo o relator, o orçamento impositivo fragiliza as contas do Estado e causa um desequilíbrio financeiro.

* Mas, os parlamentares que compunham a comissão foram contra o entendimento do colega e, de lambuja, fizeram duras críticas ao governo.

* Do deputado Edvaldo Souza, veio um dos ataques mais ferozes:

* “As emendas não engessam as contas do Estado, o que engessa as contas públicas é todo fim de ano nós aprovarmos empréstimos e mais empréstimos milionários”.

* Soltou o verbo mesmo.

* De fato, é um assunto delicado, bastante amplo, e que requer muita discussão.

* Por um lado, a aprovação da PEC garante maior autonomia aos parlamentares, incluindo obrigatoriamente no orçamento obras de interesse local das bases eleitorais.

* Isso, claro, para os bens intencionados…

* Por outro, é preciso encarar a realidade. No atual momento de perda de receitas e necessidade de ajuste fiscal, a aprovação da PEC pode, de fato, comprometer a flexibilidade do Executivo em remanejar o orçamento em caso de necessidade.

* Entretanto, a democracia exige que o assunto seja, no mínimo, colocado em debate.

* Não dá pra simplesmente jogar na gaveta, como foi feito com a PEC da pensão vitalícia para os ex-governadores.

* Isso, sim, é prejudicial ao “equilíbrio” ético e moral do Estado.

* Fecha o pano.

* Só deu Frei Betto nas redes sociais. Todo mundo tietando.

* Na programação em homenagem aos 25 anos da morte de Chico Mendes, ele proferiu palestra com o tema “A erosão do sentido da vida e os desafios da contemporaneidade”.

* Jornalista Charlene Carvalho na primeira fila. Mulher de bom gosto, fazer o quê, né?

* Frei Betto é velho conhecido do Acre. Esteve no Estado em 2001, a convite do então governador Jorge Viana.

* Antes ainda, na década de 70, veio conhecer o trabalho de Dom Moacyr Grecchi nas comunidades eclesiais de base que começavam a se articular por aqui.

* É um homem que vale a pena ouvir. Sempre uma boa inspiração.

* Buuh!

* Assusta, não, leitor.

* Se cruzar com o Zé do Caixão por aí, é só lembrar do Festival Pachamama, onde ele será homenageado.

* O evento ocorre entre os dias 18 e 24 deste mês.

* Cultura é sempre bom. E nisso o Acre tem seu mérito.

* Interina: Maíra Martinello.