Pular para o conteúdo

Estudante do Acre vence a edição 2013 do Concurso de Redação do Senado

estudanteganha 
Com a redação ‘Reensaiando antigos passos’, a estudante Aline da Conceição de Andrade da Escola Estadual Dom Henrique Ruth, em Cruzeiro do Sul, superou os concorrentes dos outros 26 estados e foi classificada em 1º lugar no concurso do projeto Jovem Senador. É a 1ª vez que uma representante acreana conquista o prêmio, mas não é a 1ª vez que Aline vai longe. No ano passado, ela já representou o estado na final da Olimpíada de Língua Portuguesa e este ano já se classificou em 11º no vestibular de matemática da Universidade Federal do Acre, em Cruzeiro do Sul.

 Em 2º lugar ficou o texto “A União faz a força, a voz e a vez de um povo”, da aluna Maria Eduarda Nunes da Silva, de Colmeia, em Tocantins, e a dissertação “Educação que transforma”, de Jhenifer Mezzomo Spagnol , de Matelândia, no Paraná, se classificou em 3º lugar.

 Comissão julgadora – Composta por 5 servidores do Senado, uma representante do Ministério da Educação e uma do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a comissão julgadora avaliou os textos na última segunda-feira (7), em uma sala fechada e com textos sem identificação.  Neste ano, o tema era ‘Buscar voz para ter vez: cidadania, democracia e participação’.

 Um dos avaliadores pelo Senado, Pérsio Barroso, esclareceu que o tema foi escolhido com antecedência, mas que coincidiu com as manifestações ocorridas neste ano. Ele destacou a importância do projeto Jovem Senador por abrir as portas do Senado para a participação dos jovens.

 – Eles vão exercer essa cidadania participando deste concurso, tendo a possibilidade de levar depois para as suas vidas, para as suas escolas, tudo aquilo que aprenderem aqui.
A representante do Consed, Carla Barroso, acredita que o projeto fomenta a interação dos jovens com a política, e elogiou o nível das redações. Para Carla, aproximadamente 15 redações se destacaram, mas a questão da originalidade e estrutura da redação foram definitivas para escolha da vencedora.

 A originalidade também foi apontada pela representante do MEC, Sueli Mello, como um fator decisivo.  Segundo sua avaliação, os textos tinham qualidade, mas alguns traziam clichês ou direcionamento por parte do professor e aquelas que demonstraram maior presença do aluno se sobressaíram.  Sueli acredita que o projeto contribua para o resgate do gosto pelo texto escrito e defendeu a formação dos professores para a obtenção de bons resultados com os alunos.

– Um professor que gosta de ler vai fazer com que seu aluno leia também. E um aluno que lê vai escrever muito bem. É uma via de mão dupla: professor e aluno.
Jovem Senador – Os autores das 27 melhores redações, uma de cada estado, serão convidados a viajar para Brasília onde participarão do processo de discussão e elaboração das leis do País. Os jovens vivenciarão a experiência de atuar como senadores da República. Além disso, ganharão um microcomputador portátil, certificação, medalha e a publicação da redação num livreto a ser distribuído para todas as escolas públicas estaduais.

 A aluna classificado em 1º lugar na etapa nacional viajará acompanhada de um responsável legal, se menor de 18 anos, do secretário de Educação de sua unidade da Federação, de um dos coordenadores da respectiva secretaria de Educação, do diretor da sua escola e de um professor. Os demais finalistas, se menores de 18 anos, viajarão acompanhados do respectivo responsável legal.

 As escolas dos 3 primeiros colocados também serão premiadas, respectivamente, com 4, 2 e 1 desktop(s) para uso coletivo da instituição. A premiação também inclui um kit às instituições finalistas, com publicações das Edições Técnicas do Senado, documentários produzidos pelos veículos de comunicação do Senado pertinentes ao ensino médio e certificado de participação no concurso.

 A cerimônia de premiação ocorrerá no dia 18 de novembro no Senado Federal.