Pular para o conteúdo

Trânsito causa transtornos à população durante assalto

 O assalto a uma casa lotérica, ocorrido no fim da manhã de ontem, além do terror aos reféns e à população, ocasionou também um verdadeiro caos no centro de Rio Branco. Quem precisou buscar filho na escola ou mesmo aproveitar o horário do almoço, deparou-se com engarrafamentos por todos os lados.

 Assim que o assalto com reféns foi anunciado, autoridades responsáveis isolaram a Avenida Ceará, do Colégio Aplicação até o Terminal Urbano. A Rua Marechal Deodoro também foi fechada do Centro Empresarial até o Parque da Maternidade e a Rua Rui Barbosa isolada da Prefeitura até o Estádio José de Melo.

 De acordo com o coordenador de Fiscalização de Trânsito do Detran/AC, Herbson Sousa, 14 agentes foram mobilizados para a operação de apoio para os profissionais que tentavam contornar o assalto. “As nossas intervenções nos trechos mais críticos iniciaram às 11h20. O tempo todo nós trabalhamos tentando orientar as pessoas a evitarem a região central da cidade, até mesmo pela questão de segurança. A indicação era para quem desejasse ir ou sair do Segundo Distrito, utilizasse a 3ª ponte, pela Via Verde”, informou.

 Durante o horário de pico, por volta das 12h de ontem, o aposentado Orlando Barros, sem saber o que estava acontecendo, reclamava do engarrafamento que o prendia há mais de 30 minutos. “Faz bastante tempo que eu estou tentando ir para o outro lado, no bairro Estação Experimental. Eu não estou bem, porque tenho pressão alta. Um trânsito assim fica ruim para mim. Nessa situação só nos resta ter tranquilidade e esperar o que vier pela frente”, declara.

 Assustado com a notícia do assalto, o servidor público Francisco Lima, tentando manobrar o carro no meio do trânsito caótico da Avenida Brasil, contou que chegaria atrasado ao destino, por conta disso. “Estou me sentindo péssimo com essa situação. Esses bandidos aprontam uma coisa dessas e ocasionam isso aqui”, retruca.

 Durante o assalto, o acesso ao Terminal Urbano foi interditado e os desembarques foram feitos na Avenida Ceará, próximo ao Colégio de Aplicação. Para evitar que a população saísse ainda mais prejudicada e evitar outros transtornos, equipes do RBTrans atuaram no local para indicar novas rotas aos transportes coletivos.