Pular para o conteúdo

Governo lança concurso efetivo para Educação com 2,5 mil vagas

O Governo do Acre aproveitou o Dia dos Professores para lançar um dos maiores concursos na área para o quadro efetivo da Secretaria Estadual de Educação. Serão 2.599 vagas, sendo 2.113 para professores e 486 para o cargo de Apoio Administrativo Educacional de nível médio. O edital pode ser consultado no Diário Oficial do Estado nesta quarta-feira, 16. As provas deverão ocorrer já no mês que vem.

“Demonstra o esforço do governo. É uma enorme responsabilidade com o futuro e o compromisso da equipe gestora. Este aumento no número de vagas resultará num incremento de R$ 50 milhões por ano na folha de pagamento do Estado”, destaca Tião.

Das vagas oferecidas para professor, 681 são devido à aposentadoria, falecimento e exonerações. Já o restante são novas vagas a serem criadas após a aprovação do projeto de lei pela Aleac. Da mesma forma, das 486 vagas para apoio administrativo, 294 são novas.

Pelo cronograma inicial, a homologação final do concurso é de 17 de janeiro de 2014. A expectativa é que os candidatos aprovados já comecem no serviço a partir de do início do ano letivo, que está previsto para fevereiro.

Pela quantidade de vagas, o concurso será um dos maiores já realizados na Educação desde a elevação do Território à condição de Estado Federado, confirma o secretário estadual de educação, Daniel Zen. O governador Tião Viana aproveitou para destacar o orgulho dos educadores acreanos.

O último concurso para professores realizado pela SEE/AC para o quadro efetivo foi em 2010. Já para apoio administrativo, o último concurso foi realizado em 1992.

Mais vagas – O governador Tião Viana ressaltou o aumento de 70% nas vagas de mestrado no Acre com o Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT). Além de 100% no número de doutores e 600% no número de pós-doutores.

Moisés Diniz fala sobre as vagas – O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Moisés Diniz (PCdoB), comentou sobre as vagas na Educação. Ele criticou a contratação provisória de professores. Disse ainda que os contratos provisórios tornam os professores ‘escravos do presente’, pois estes ficam impedidos de fazerem qualquer planejamento a longo prazo.

Quanto à questão dos 11mil servidores, o parlamentar destacou que o governador Tião Viana é favorável à causa e afirmou que acompanhará a comitiva de deputados estaduais à Assembleia Legislativa de Minas Gerais em audiência que deve ser realizada com representantes do Comitê dos 11 mil e parlamentares dos dois estados. (Com José Pinheiro)