Pular para o conteúdo

Prefeitos de interior causam polêmica na Aleac

 O líder do governo na Aleac, deputado Astério Moreira (PEN), reafirmou que o prefeito de Assis Brasil, Dr. Betinho, foi quem procurou o governador Tião Viana para se filiar a Frente Popular. De acordo com o parlamentar, Betinho tem seguido uma postura honrada ao reconhecer o apoio dado ao seu mandato por Tião.

“Isso é uma boa política. Reconhecer as atitudes do outro. O prefeito, conforme diz a coluna aqui, manifesta apoio ao governador, mesmo sendo de partido de oposição. Embora tenha consequência política, isso incomoda, mas permanece firme independente de qualquer coisa”, diz Astério Moreira.

O líder governista afirmou, ainda, que acima dos interesses individuais e políticos devem prevalecer os interesses coletivos. Ele relatou que Tião Viana mantém uma relação institucional com todos os prefeitos, independente de cor partidária.

 Por outro lado, o líder da oposição, Wherles Rocha (PSDB), pediu que Astério se preocupasse com os problemas enfrentados pelos acreanos e citou a deficiência na Segurança Pública. Disse acreditar na versão do prefeito Dr. Betinho e culpou o governador de tentar ‘cooptar’ os prefeitos da oposição para FPA.

 Já Gilberto Diniz (PT do B) salientou que, embora as lideranças mudem de sigla, há na sociedade o pensamento de um novo projeto de desenvolvimento para o Acre. “O povo quer mudanças. Não são lideranças que seguram, embora elas mudem. O povo quer outro modelo. Esses prefeitos do interior estão acuados. Vejo isso como uma pressão”, frisa o deputado oposicionista.

 Ainda na briga dos prefeitos, Geraldo Pereira (PT) disse não entender o porquê mesmo sabendo que iriam encontrar dificuldades em seus mandatos, os prefeitos concorreram e agora querem encontrar culpados por suas administrações.

“Sei como poucos as dificuldades que vivem as prefeituras do Estado. Muitos diziam: ‘a prefeitura está quebrada’. Mesmo assim se candidataram. Parabéns ao prefeito Marcus Alexandre, que mesmo sabendo das dificuldades disse: ‘escolhi ser prefeito’. Não ficou reclamando”, finaliza Geraldo Pereira.