Pular para o conteúdo

Setor supermercadista se reúne para discutir qualidade na prestação de serviços

supermercadosRepresentantes do setor supermercadista discutiram como conciliar qualidade na prestação de serviços com diminuição ou, no mínimo, manutenção de custos fixos. “Nosso objetivo é aumentar conhecimentos para que a qualidade na prestação de serviços melhore cada vez mais”, diz o presidente da Associação Acreana de Supermercados, Luiz Deliberatto.

“Hoje, a automação é uma necessidade para quem quer reduzir custos e aumentar o controle”, analisou o assessor de Soluções e Negócios da GS1, Edson Matos de Lima. A GS1 é a Associação Brasileira de Automação, com 30 anos de atuação no mercado e responsável pela aplicação do código de barras.

O setor supermercadista do Acre é um dos que mais emprega na iniciativa privada com geração direta, em toda a cadeia do varejo, de 4 a 5 mil empregos. É uma estimativa. Não há números precisos em todo Estado.

A concentração de mão de obra está na capital, com possibilidade de expansão para o interior quando a integração rodoviária for consolidada.

Para o presidente da Associação Brasileira de Supermercados o segmento acreano integra um nicho estratégico. “Nós estamos apostando no aumento da qualidade das pequenas associações regionais e estamos sentindo essa melhoria aqui no Acre”, disse Fernando Teruo Yamada.

Sobre o acesso à crédito, o presidente relativizou. “O acesso ao crédito não é vital para o nosso segmento que é mais influenciado pela renda”, avalia Yamada. No suplemento Acre Economia de domingo, reportagem com mais detalhes informa sobre o workshop promivido pela Associação Acreana de Supermercados.