Pular para o conteúdo

Operação Papai Noel permite reforço à segurança na Capital

As equipes estão presentes nas ruas da capital a pé de moto ou em viaturas para fazer a segurança da população Fotos Gleilson Miranda Agência AcreA Polícia Militar do Acre deu início à Operação Papai Noel na Capital, com o objetivo de coibir a incidência de crimes no período que antecede as comemorações de fim de ano e o aumento do lucro no comércio local.

A ação implica o reforço do policiamento ostensivo nas ruas, além de atividades preventivas como palestras nas escolas e treinamento de gestores. De acordo com o coronel do Policiamento Operacional da Capital (CPO), Mário César, o propósito é não apenas reprimir, mas principalmente prevenir as ocorrências de violência.

Existente há 19 anos, a operação reafirma à população o compromisso do Estado com a segurança pública. Entre novembro deste ano e janeiro de 2014, o policiamento será intensificado próximo às áreas comerciais e bancárias, em virtude do aquecimento da economia no período natalino. Em média, 300 policiais estarão nas ruas com a participação dos novos integrantes da Polícia Militar que passam por formação.

Como parte do trabalho, a coordenação do policiamento escolar fez a preparação de alunos de dez escolas de Rio Branco para o concurso de coral, nesta quinta-feira, 28, no Teatro Universitário, a partir das 20 horas. “A ideia é estimular os alunos para evitar que eles fiquem ociosos, e é mais uma de nossas atividades preventivas”, explicou Mário César.

Outro ponto destacado pelo coronel é o monitoramento de presos do regime semi-aberto nas regionais. Em quatro dias de atuação, a PM já cumpriu 11 mandados de prisão, três armas de fogo e seis brancas foram apreendidas, uma caminhonete foi recuperada e 55 ocorrências, encaminhadas às delegacias.

O policiamento normalmente é feito em duplas em regiões definidas estrategicamente, a pé, em motocicletas e viaturas. É o caso do Mercado do Bosque, onde os comerciantes já se sentem mais seguros com a presença da PM. “Aqui a gente não tem do que reclamar. Graças a Deus a ronda da polícia nos deixa mais tranquilos para trabalhar”, diz a gerente de um posto de combustível próximo ao mercado, Larissa Morais. (Rayele Barbosa / Foto: Gleilson Miranda/ Agência Acre)