Pular para o conteúdo

Presidiário libertado por engano ateia fogo na casa da ex mulher

tinda 
O presidiário Antônio Firmino Magalhães, 33 anos, “o Tinda” que aguardava julgamento pelos crimes de  tentativa de homicídio, sequestro, violência doméstica e roubo (assalto), no Presídio Manoel Nery da Silva, no município de Cruzeiro do Sul, Vale do Juruá e que no dia 08 de Setembro passado foi solto por engano já cometeu outro crime.

 De acordo com informações na noite de terça-feira, 06, “Tinda” foi à casa da ex mulher no bairro Cruzeirão e ateou fogo na casa e ainda deixou recado que somente vai sossegar quando mata-la.

 Os crimes –  No mês de setembro do ano passado, Antônio Firmino Magalhães sequestrou, espancou e manteve a mulher dele em cárcere privado por um mês onde era estuprada quase todos os dias durante o período em que foi mantida em cativeiro.

 A mulher aproveitou um instante em que “Tinda” dormiu exausto após mais um ato de violência sexual praticado contra a mulher e ela conseguiu fugir e o denunciou a polícia.

 Por determinação da delegada especial da mulher, agentes da DEAM conseguiram prendê-lo dentro de um ônibus a caminho de Rio Branco. Mas, um ano depois ele conseguiu sair pela porta da frente do Presídio por um “engano” interno.