Pular para o conteúdo

“Classifico isso como rasteira política. Não precisava disso”, diz Moisés Diniz

 carloscaleac
Durante a passagem do empresário Carlos Costa pela Aleac, algo inusitado aconteceu. O empresário deveria permanecer no grande expediente da sessão ordinária de ontem, 14, até o final. Só que ele teve uma reunião emergencial. Segundo informações de parlamentares, o deputado Jamyl Asfury (PEN) roubou a cena e levou Carlos Costa para uma reunião com o governador Tião Viana (PT). Isso deixou os parlamentares que defendem a empresa no parlamento acreano bastante irritados.

 O deputado Moisés Diniz (PC do B), que presidia a sessão, se mostrou indignado com a atitude do colega e classificou o gesto como ‘um golpe baixo’.  Ele pontuou que a luta pelos mais de 70 mil divulgadores acreanos não tem cor partidária.

“Classifico isso como uma rasteira política. Não precisava disso. Pessoas que não estavam nessa luta e agora aparecem fazem um movimento ruim. É lamentável que isso ocorra. Esta luta não temos partidos políticos”, disse Moisés Diniz.

 Os principais defensores da Telexfree são os deputados: Eber Machado (PSDC); Jonas Lima (PT); Moisés Diniz (PC do B), sendo acompanhados pelos demais parlamentares. A deputada Perpétua Almeida enviou uma nota em apoio aos divulgadores acreanos.

 Não é a primeira vez que os parlamentares reclamam da postura de Asfury. Na sessão da última quarta-feira, dia 13, o parlamentar discutiu com o colega de partido, deputado Lira Moraes (PEN), por causa das emendas impositivas.

 Nos bastidores, os parlamentares sugeriram boicotar as sessões presididas por Jamyl Asfury.