Pular para o conteúdo

Tribunal de Justiça do Acre empossa 11 novos juízes de Direito substitutos

 O Judiciário Acreano passa a contar com mais 11 novos juízes a partir de agora. Eles foram empossados no cargo em cerimônia realizada nesta sexta-feira (6) na sede da instituição.
A solenidade foi conduzida pelo desembargador-presidente Roberto Barros, acompanhado dos membros da Corte de Justiça Acreana e pelo procurador de Justiça Cosmo de Souza, representando o Ministério Público Estadual.

 Também compuseram a mesa de honra o procurador-geral do Estado, Rodrigo das Neves, representando o Governo do Estado e o presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), juiz Raimundo Nonato.

 Ao adentrar o Plenário do TJAC, os novos magistrados prestaram o juramento solene por meio do qual prometeram cumprir suas funções de acordo com as leis e a Constituição – antes de serem empossados em seus cargos públicos pelo presidente do Tribunal.

 Em nome da Corte de Justiça, o desembargador Francisco Djalma saudou os empossados, destacando o sentimento de seus pares: “É um momento de júbilo”. Ele também sustentou que eles chegam no momento “em que a Justiça tem sido desafiada a não cair em descrédito pela sociedade”.

 Vice-presidente do TJAC, a desembargadora Cezarinete Angelim representou na cerimônia Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Ela salientou que a principal missão os juízes recém-empossados é serem “transformadores sociais” e “senhores do seu tempo”.

 Ao convidá-los a uma breve reflexão, a magistrada leu a ‘Prece do Juiz’, cujo trecho evidencia a responsabilidade do cargo.

“Da minha decisão depende o destino de muitas vidas. Sábios e ignorantes, ricos e pobres, homens e mulheres, os nascituros, as crianças, os jovens, os loucos e os moribundos, todos estão sujeitos, desde o nascimento até a morte, à Lei que eu represento e a Justiça que eu simbolizo. Quão pesado e terrível é o fardo que puseste nos meus ombros”
O presidente Roberto Barros falou ao final da solenidade, lembrou que este era “um dia de vitória”, agradeceu a todos que colaboraram para que ele se concretizasse, inclusive os professores/formadores do curso oficial de que os novos juízes participaram.

 O desembargador desejou sabedoria e prudência, mas fez uma observação: “sejam antes de mais nada bons cidadãos, pois se forem bons cidadãos, certamente serão bons juízes”.
Roberto Barros destacou ainda que a Magistratura do Acre é valorosa, antes de encerrar dizendo qual a sua expectativa: “que os seus novos irmãos a façam ainda mais forte, respeitada e digna”.

11juizes