Pular para o conteúdo

Força Nacional é acionada após mortes em Porto Velho

Por conta dos atentados ocorridos em Porto Velho entre a noite de quinta-feira (19) e a madrugada de sexta-feira (20), com sete mortes e 10 feridos confirmados, a Secretaria de Segurança Pública de Rondônia convocou policiais da Força Nacional de Segurança, que estavam atuando na região de Rio Pardo, próximo a Floresta Nacional do Bom Futuro em RO, e encaminhou todos os servidores, inclusive da parte administrativa, para exercerem policiamento nas ruas da cidade.

A PRF vai dar apoio aéreo e terrestre. Entre as linhas de investigação da polícia, está um possível acerto de contas entre bandidos, assim como retaliação às ações da polícia contra criminosos. “Estamos fechando os quartéis. Estamos, inclusive, puxando os policiais que estão cedidos a outras secretarias, no Ministério Público, no legislativo, estão sendo trazidos para serem colocados nas ruas. Na capital, nós teremos o emprego maciço do efetivo”, garante.

As mortes começaram a ser registradas na noite de quinta-feira, quando homens, ainda não identificados pela polícia, atiraram indiscriminadamente contra pessoas em diversos pontos da cidade, entre eles bares na Zona Leste e na Zona Sul da cidade e no Campo da Associação Futebolística do Bairro Areal (AFA), na região central. Durante a  manhã desta sexta-feira, houve ainda o registro de mais um homicídio, com as mesmas características dos atentados anteriores.

Além da Polícia Militar (PM), cerca de 70 policiais da Força Nacional de Segurança devem ajudar no policiamento a partir das 19h (horário local), mas o Exército foi dispensado.

O governador de Rondônia, Confúcio Moura falou em entrevista que os atentados foram retaliações a Operação Salve, deflagrada na quinta-feira (19), quando a polícia apreendeu armas, munições e até dinamites com quatro pessoas após investigações sobre o motivo da execução do agente penitenciário Luiz Jorge Pinto Mondego, de 25 anos e do policial militar Osmar Júnior, atingido por tiros na terça (17) em frente de casa.

Entre os mortos confirmados estão: Ronaldo de Lima Araú-jo, que morreu na Rua Vila Mariana, no bairro São Francisco, Zona Leste da cidade; Alessandro Silva Melo, que foi atingido em um bar no bairro Castanheiras, Zona Sul. Ainda morreram nos hospitais, Tailo Martinho Rodrigues, Elton de Freitas Santos, Cristiano de Brito, Alessandro da Costa e Talisson Lima de Araújo. (Ivanete Damasceno, Do G1/RO)