Pular para o conteúdo

Perpétua cobra definição para moradores da Serra do Divisor

perpetuaserrad 
O Parque Nacional da Serra do Divisor foi criado em 1989. Com uma área de 843 mil hectares ( superior a de muitos países), ocupa parte do território de 5 municípios: Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.

 A modalidade “Parque Nacional”, não contempla a presença de moradores, podendo ser usado apenas para pesquisa científica e turismo controlado. Por isso, as cerca de 700 famílias que habitam o local, vivem em clima de incerteza. Apesar da maioria ter nascido na área do Parque, a determinação é para que sejam removidas. 50 famílias que moravam próximo as cachoeiras do Rio Moa foram removidas para o Projeto de Assentamento Havaí, a 29 km de Mâncio Lima.

 Uma das reclamações dos moradores é nunca terem recebido a indenização pela remoção.

 A deputada federal Perpétua Almeida, acompanhada do deputado Estadual Eduardo Farias e do vice-prefeito de Mâncio Lima, Eriton Maia, todos do PCdoB, passou a última semana dentro do Parque, buscando entender o problema para ajudar as pessoas.

“O problema é sério. Eles têm dificuldade até para desenvolver a agricultura de subsistência, por causa da determinação de deixarem o Parque. Por outro lado pedem, e precisam da ajuda de emendas para transportar mercadorias e até para a própria locomoção. Discutimos com eles sua inclusão no Programa Nacional de Habitação Rural, como alternativa. O certo é que temos um problema que atinge quase mil famílias e que precisa ser equacionado. Vou em busca de solução”, garantiu Perpétua que foi saudada em todo o trajeto como ” a Mulher das Espingardas”, apelido que recebeu em seu primeiro mandato de deputada federal, pela luta vitoriosa, em defesa da legalização das espingardas para os moradores da floresta.”

 Quando assumi meu primeiro mandato, meu pai me disse- não esqueça sua origem no seringal. Não esqueça que foi o cano de uma espingarda que te sustentou (referindo-se à caça como alimentação)”.