Pular para o conteúdo

Binho Marques vem ao Acre participar de seminário sobre Educação e criar instituto, conta Jorge Viana

binho 1O vice-presidente do Senado Federal, senador Jorge Via-na (PT/AC), disse que juntamente com o ex-governador Binho Marques deve criar, no Acre, um instituto que tenha como prioridade a Educação. Segundo o senador, sua passagem pelo Executivo o capacitou para, hoje, contribuir com a Educação no Estado.

“Ele será a base da criação do meu Instituto, que com a ajuda de alguns bons amigos, pretendo criar. A Educação vai estar bem no centro desse Instituto. Com a experiência que acumulamos na Prefeitura e no Governo, e com o envolvimento daqueles que tem conhecimento e amor pela educação, penso que podemos dar uma bela contribuição aos gestores municipais de educação no nosso Acre”, diz Jorge Viana.

O senador afirmou que está convencido de que a Educação deve ser a prioridade dos governos e acrescentou que está organizando, em Rio Branco, um seminário para discutir o tema. Jorge Viana não citou data de quando deve realizar o seminário e também não informou mais detalhes sobre a criação do Instituto.

O senador acreano há 3 anos participa de um grupo que reúne especialistas em Educação, gestores, empresários e políticos interessados na temática. A coordenação do projeto é da Universidade de Harvard e da Fundação Lemman, em parceria com as secretarias estadual e municipal do Rio de Janeiro.

No ano passado, o Congresso Nacional aprovou a destinação de 75% dos royalties do pré-sal para a Educação e 25% para a Saúde, incialmente. A perspectiva é que 100% dos royalties sejam destinados à Educação.

Jorge Viana comentou sobre as declarações de racismo feitas ao jogador do Cruzeiro, Tinga. Ele as classificou como “coisas idiotas” e “estupidas”. Disse, ainda, que cabe a cada cidadão repudiar atitudes como essa.

“É impressionante como ainda temos que conviver com coisas idiotas como o racismo. Isso mostra que, infelizmente, ainda vivemos num mundo cheio de estupidez. É nessas horas que percebemos que ainda falta amor no coração de muitas pessoas, mais que isso, falta a compreensão de que todos somos irmãos”, afirma o senador acreano.