Pular para o conteúdo

“Mas uma coisa é certa, a ida para Frente Popular está descartada”, diz Shirley Torres

 Depois de rumores que o Partido Verde poderia deixar o bloco liderado pelo deputado federal, Márcio Bittar (PSDB/AC) e Gladson Cameli (PP/AC), a presidenta do PV no Acre, professora Shirley Torres garantiu que a sigla não deixará o bloco de Bittar e não há a possibilidade de retorno para a Frente Popular do Acre.

“Isso é improvável que aconteça. Mas uma coisa é certa, a ida para Frente Popular está descartada, pois nós somos vistos como oposição hoje e queremos sermos vistos assim”.
 Ela acrescentou, ainda, que os partidos tem até o dia 15 de março para avaliar a postura do PMDB que apontou o nome da vereadora Eliane Sinhasique para vice de Márcio Bittar. Segundo Shirley Torres, o PV havia sido convidado para compor o bloco com a garantia que estaria na chapa majoritária como vice ou disputando a vaga de governador. Ressaltou, também, que o PMDB não irá querer ser o responsável por mais uma derrota da oposição no Acre.

“Acredito que o PMDB não queira carregar esse ônus de perdemos mais uma eleição. Quando fomos convidados éramos para sermos governo ou vice. Mas agora com essa investida do PMDB. Não abriremos mãos, apesar de saber que é legitimo o PMDB apresentar”.

 Quanto uma possível aliança com o PSD, do senador Sérgio Petecão e do DEM, de Tião Bocalom, Torres disse que em política nenhuma hipótese pode ser descartada. Mas, assegurou que aguardará até o dia 15 quando deve ser batido o martelo quanto ao vice de Márcio Bittar.

 Já o senador Sérgio Petecão questionado sobre a possibilidade do deputado federal, Henrique Afonso, ser o vice dele na chapa majoritária ao governo, o senador foi taxativo: “Até ser candidato a governador. Dialogando!”.

 Petecão ressaltou que pretende ter uma conversa com os dirigentes do PV para saber o que realmente ocorreu e firmar o convite. A intenção do parlamentar e frear o retorno do Partido Verde para Frente Popular do Acre

“Temos que sentar para tentar entende- los, pois já tínhamos uma conversa bem avançada com eles”, finalizou o senador.