Tião Viana pede humildade a partidos quanto à escolha de suplente e FPA apresenta nomes

Uma reunião com a presença do governador Tião Viana (PT) e presidentes de partidos da Frente Popular do Acre (FPA) foi realizada no auditório da Aleac. Na pauta, a discussão sobre a vaga de suplente de Senado. Estavam presentes, também, o prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), e a deputada federal Perpétua Almeida (PC do B/AC), pré-candidata ao Senado pela FPA.

 Na oportunidade, o governador Tião Viana pediu união dos partidos que compõem a Frente. Disse que, do mesmo modo que precisou de apoio para a escolha de Nazareth Araújo para ser sua vice na disputa ao governo, a deputada Perpétua Almeida também precisa de alguém que agregue à sua eleição.

“A deputada Perpétua Almeida vai ser a candidata ao Senado da Frente Popular, e não apenas de um partido. A deputada tem uma boa articulação em Brasília. Tenho certeza de que essa maturidade vai ocorrer com relação a Perpétua”, disse Tião Viana.

 O governador pediu humildade aos presidentes de partido. Afirmou que a ideia é colocar em discussão os nomes e que até sexta-feira seja decidido o nome de suplente de Perpétua Almeida na disputa ao Senado. Ele também confirmou que o PT havia indicado o nome do pastor Davi Santiago (PSB) para a vaga, mas declinou da possibilidade por entender que isso deveria ser um debate amplo e plural.

“A intenção é dar, de modo fraterno, aos partidos políticos a capacidade de decidir. Por isso o PT retirou essa pretensão. Queremos um debate livre e fraterno com todos. O mais importante é a visão de aliança”, completou Tião Viana.
Tião Viana revelou que a Frente Popular tem 15 nomes fortes para concorrem à Câmara Federal. Revelou, também, que a ideia é preencher 7 das 8 vagas disponíveis. “Temos 15 nomes fortes. Temos potencial para disputar até 7 vagas. Já fizemos isso no passado”, ressaltou o chefe do Executivo Estadual, ao dizer que a coligação tem acertado até o momento na composição da sua chapa majoritária.

 Já o prefeito Marcus Alexandre (PT) disse que a FPA não pode fazer da escolha a suplente um campo de batalha. Ele acrescentou que a oposição não pode tomar posse do pensamento de que os partidos da Frente estão desunidos. “Não podemos fazer dessa escolha algo que a oposição faça comentários. Temos nos esforçado para que todos os partidos se vejam nas nossas conquistas”, pontuou o prefeito Marcus Alexandre.

 O presidente regional do PT, professor Ermício Sena, destacou que o partido preferiu abrir o debate e não vai impor nada aos outros tidos como menores. Para ele, todos têm a mesma capacidade de apresentar nomes.

 Já o presidente do PSDC, José Afonso, destacou que a sigla não abrirá mão do nome do jornalista Antônio Klemer na disputa. Ele afirmou que o PSB já tem a suplência do senador Jorge Viana e não seria justo com os demais partidos. Afonso afirmou que tem o apoio dos demais partidos da FPA. Para ele, a indicação do nome da deputada Perpétua Almeida foi um consenso de todos os partidos e agora não seria diferente.

 Cinco nomes foram apresentados na reunião de ontem, 24. São eles: jornalista Antônio Klemer (PSDC); pastor Davi Santiago (PSB); professor Carlos Coelho (PEN); Manoel Marcos (PRP) e o juiz Pedro Longo (PSL). A FPA outorgou o governador Tião Viana como condutor deste processo, a partir de agora.

 Avalia-se que o nome de uma liderança evangélica deverá ser confirmado. A ideia é captar votos desse segmento que, com a saída do senador Aníbal Diniz (PT/AC) da disputa, ficou sem representação na chapa majoritária. Essa lógica foi confirmada por um presidente de Partido da Frente Popular do Acre. Segundo ele, o nome de Perpétua Almeida teria rejeição entre os evangélicos, pois eles a veriam como uma ‘radical’.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation