Deputado Moisés Diniz quer a instalação de orelhões telefônicos na zona rural do Estado

O deputado Moisés Diniz (PCdoB) irá propor à bancada federal que atue junto ao Ministério das Comunicações e à Agência Nacional de Telecomunicações para que sejam instalados na zona rural do Estado telefones públicos, os chamados orelhões.

Ele explica que a necessidade é latente. O parlamentar disse saber dos custos para instalação de um aparelho na zona rural, pois na maioria dos locais é necessária uma central que enviará os dados via satélite.

Diniz ressalta que o cálculo base das operadoras é de 300 habitantes para um aparelho público. O deputado afirma que as operadoras utilizaram de ‘esperteza’ ao fazer o cálculo e citou exemplos de cidade como Rio Branco que possui orelhões a menos de 200 metros um do outro. O parlamentar revelou que as empresas dividem o número de habitantes por 300 e o quociente disso seria o número de aparelhos a ser instalado.

Outra revelação feita pelo deputado aponta que mais de 250 aparelhos em Rio Branco estão com problemas. O deputado acreano ressalta que com o avanço da telefonia móvel, esse serviço se tornou desnecessário nas cidades, entretanto, ainda sendo indispensável em localidades mais distantes.

“Vamos propor que esses telefones sejam transferidos para comunidades indígenas e rurais na proporção do custo. A zona rural está literalmente abandonada do ponto de vista da comunicação. Por falta de comunicação pessoas morrem”, disse Moisés Diniz.

O parlamentar salientou que atuará nesse primeiro momento de modo diplomático, mas caso a Anatel e o Ministério das Comunicações não apresentem uma proposta para o caso, ele acionará judicialmente.

“Se não houver sensibilidade, caso não haja receptividade pelos políticos do Acre, eu vou judicializar isso. Existe uma lei federal que deve ser cumprida”, destacou.

Assuntos desta notícia


Join the Conversation