Pular para o conteúdo

Governador Tião Viana reafirma parceria com direção do BNDES

Governador Tião Viana ao lado de Guilherme Lacerda em reunião no Acre em 2012
Governador Tião Viana ao lado de Guilherme Lacerda em reunião no Acre em 2012

O governador Tião Viana e o secretário estadual de Planejamento Márcio Veríssimo estiveram reunidos com o diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Guilherme Lacerda. Em pauta os projetos que serão realizados nos próximos anos. A reunião foi na sede do BNDES, no Rio de Janeiro, na sexta-feira, 31.

O banco é um dos grandes parceiros do Estado na viabilização de crédito e tem apoiado o Acre no desenvolvimento de diversos programas de governo, tais como o fomento de cadeias produtivas, como piscicultura, agroindústria, atividades industriais, construção de silos graneleiros e de obras de infraestrutura, como o Ruas do Povo. A parceria do investidor com o Acre remete ao ano de 2002 e desde então já foram investidos cerca de R$ 2,5 bilhões, que foram traduzidos nos principais programas de desenvolvimento do estado. Na gestão atual, foram investidos R$ 1,3 bilhão.

Durante a reunião o diretor do BNDES enfatizou que o Acre tem se destacado pelo cumprimento de metas e apresentação dos resultados. O secretário de Planejamento apresentou à equipe técnica do Banco as estratégicas de ações públicas e os projetos complementares aos programas que já estão em andamento.

O governador Tião Viana detalhou as propostas para melhorar a logística no meio rural, por meio da ampliação do programa Ramais do Povo. Destacou também as ações para as áreas de habitação, saneamento para o interior do Estado, para elevar a cobertura de água e esgoto nos municípios de Jordão, Marechal Thaumaturgo, Santa Rosa e Porto Walter e ainda sobre investimentos em cultura, educação e serviços, na qual se-riam replicados nos municípios projetos que dão certo na Capital, como escola de música e curso de línguas.

Por fim, a sustentabilidade foi pautada no que tange ao Fundo Amazônia e recursos para programas de monitoramento e controle ambiental. O banco está disponível para uma agenda ambiental na tríplice fronteira, a fim de readequar linhas de créditos e atender as diferenças regionais e ter como resultado ações vinculadas a produção e redução do impacto ambiental. Uma vez que as cabeceiras dos rios que percorrem o Acre estão nos países vizinhos, assim a discussão para ações para o meio ambiente devem ser planejadas conjuntamente. (Miriane Teles / Agência Acre/ Foto: Sergio Vale/ Secom)