Fecomercio busca apoio junto ao Banco do Brasil

 Após conversa com o Ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, realizada nesta quarta-feira, 4, os empresários reuniram–se ainda na Federação do Comércio (Fecomercio) com o superintendente de Negócios do Banco do Brasil, Ingo Kobarg Junior. O objetivo é criar um canal de comunicação entre as pequenas e médias empresas do comércio e o Banco do Brasil (BB).

O presidente da Fecomercio, Leandro Domingos, afirmou que os empresários precisam traçar estratégias para que o Acre possa se reestruturar novamente. Para o presidente, não há dúvidas que os setores comerciais têm de estar unidos neste momento, principalmente entidades privadas, organizadas. “Nosso objetivo é que as instituições bancárias facilitem o crédito, porque, numa hora destas, várias pessoas perderam toda a sua documentação. Se os bancos forem rigorosos na concessão destes créditos, estas pessoas não conseguirão se reerguer”, informou, relembrando que a maioria dos atingidos é micro e pequenos empresários.

Occhi comentou que, a pedido do governador Tião Viana e do prefeito Marcos Alexandre, além dee das entidades representativas, inclusive da Fecomércio; foram adotadas algumas medidas emergenciais. “A primeira medida seria o pula – parcela de três parcelas vencíveis das operações de capital de giro, que, no caso, a maioria dos empresários do Acre possui, abrangendo 80% dos nossos empresários. Além disso, foi pleiteada junto ao BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] a reativação do Per Brasil, que já foi confirmado. Ele tem um teto de até R$ 1 milhão, com a taxa de juros de cerca de 11% ao ano e carência de até 60 meses para pagar, mas somente para os municípios que forem reconhecidos pelo Governo Federal como calamidade pública.

O empresário e representante do setor atacadista, Pedro Neves, disse que o povo do Acre é um povo aguerrido e, mesmo com tamanha calamidade, se reconstruirá. “Eu acredito muito no povo dessa terra. E tenho certeza que todas as dificuldades serão superadas com muito trabalho e otimismo”, encerrou Neves.

 

Assuntos desta notícia