Rio Madeira se mantém estável

Nesta segunda-feira, 2, as águas do Rio Madeira haviam baixado para 16,64, oito milímetros a menos que na última sexta-feira, quando alcançaram os 16,72m. Mas no Cai N’Água o nível já está a altura das ruas. Boletins divulgados pela Residência de Porto Velho do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) permitem o comparativo com a cheia de 2014.

Do dia 1º de janeiro até 26 de fevereiro deste ano, as chuvas acumuladas na bacia do Rio Madeira totalizaram 455,6 milímetros. Em janeiro choveu 265,5 mm, e em fevereiro 190,1 mm. No ano passado, a pluviometria apontava 383,9 mm em janeiro e em fevereiro 216 mm. Os dois meses totalizaram 599,9 mm, ou seja, 144,3 mm a mais que atualmente.

Conforme o assistente de Produção de Hidrologia e Gestão Territorial da (CPRM), Francisco Barbosa, o atual período chuvoso não é tão preocupante quanto o da cheia de 2014. Ele reiterou que o nível do Rio Madeira é influenciado pelas bacias dos rios Mamoré e Beni. Isso significa que as chuvas na Amazônia boliviana e na Amazônia peruana refletem nos níveis dos rios em Rondônia e Acre.

Ainda com base nos estudos do Setor de Hidrologia da CPRM, os recordes de fevereiro foram 23 mm, no dia 13; 61,3 mm, no dia 19; e 44,5 mm, no dia 23. Os engenheiros do Setor de Hidrologia do órgão lembram também que a cheia no Rio Beni influencia a cada ano a cheia do Rio Madeira, principalmente no trecho Abunã-Porto Velho.

Ontem, o rio teve vazantes de quase 2 metros na região da estrada. A previsão é que ele continue baixando. (Do Portal Rondonoticias)

Assuntos desta notícia