Juiz acreano afastado do caso Eike vai responder a procedimentos administrativos

O juiz federal Flávio Roberto de Souza, afastado do processo que envolve o empresário Eike Batista, responderá a cinco procedimentos administrativos disciplinares no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF). A decisão do Órgão Especial do TRF, em sessão ocorrida ontem, 26, foi baseada nas sindicâncias conduzidas pela Corregedoria Regional da Justiça Federal e na correição extraordinária feita na vara em que era titular.

O primeiro procedimento é referente ao uso do carro e do piano de Eike. O segundo, sobre declarações do magistrado de que o uso de bens apreendidos por juízes seria prática normal. O terceiro julgará o desvio de US$ 150 mil e de 108 mil euros apreendidos de um réu. O quarto é relativo à acusação de apropriação de valores pertencentes a Eike. O quinto procedimento refere-se ao desvio de dinheiro da venda antecipada de bens apreendidos em outra ação penal.

O Órgão Especial do TRF também confirmou o afastamento do juiz de suas atividades, sem prazo definido. O advogado do magistrado sustentou, durante a sessão, que Flávio Roberto faria jus à aposentadoria por invalidez, devido a problemas psiquiátricos. As informações foram divulgadas em nota pela assessoria de comunicação do tribunal.

Assuntos desta notícia