Gazetinhas 14/04/2015

* Esfriou, esmoreceu…

* Menos de um mês após a grande onda de protestos que parou todas as capitais brasileiras, a segunda edição do movimento “Vai pra rua” não correspondeu às expectativas dos organizadores.

* De acordo com levantamentos das polícias militares, foram pra rua, no domingo passado, menos de um terço dos que protestaram no último dia 15 de março.

* Também diminuiu o número de estados e cidades onde ocorreram as manifestações…

* Em algumas, como Rio Branco, o total de participantes foi tão ínfimo, que nem mereceu cobertura nos telejornais nacionais.

* 250 pessoas, segundo a PM; 400, na contagem dos organizadores locais.

* Bem aquém da estimativa, que falava em até 20 mil manifestantes!

* Mas também, o povo, aqui, alopra logo, né?

* E, convenhamos, se aproveita de tudo pra ganhar notoriedade política…

* Não é à toa que o povão desanima de participar.

* Enfim…

* Aos que foram com boas intenções, valeu o esforço.

* Segundo levantamento do instituto Datafolha, realizado em São Paulo, onde a passeata ainda conseguiu reunir 100 mil pessoas,  a maioria dos manifestantes protestava em descontentamento com a corrupção que assola o Brasil (33%).

* E isso será sempre uma boa causa, independente de partido político…

* Mesmo que a desesperança, por ora, tenha superado o ânimo para luta.

* Vamos em frente.

* É chuva que não acaba mais.

* E até o Rio Acre resolveu dar um sustinho.

* Após a vazante de quase 10 metros, no último mês, o nível do rio voltou a subir, nesta segunda-feira, alcançando a cota de 9,83 metros.

* Dois centímetros apenas acima da medição de domingo…

* E nada fora da normalidade, segundo a Defesa Civil.

* Dentro da “normalidade” também mais um apagão de energia, registrado na manhã de ontem, que deixou Rio Branco e mais sete cidades do Acre sem energia.

* A justificativa da Eletrobras: “falha da execução de um serviço da subestação da concessionária da Capital”.

* O que, como sempre, não explica nada.

* Ai ai.

* Morreu, ontem, o jornalista e escritor uruguaio Eduardo Galeano…

* Autor de um dos livros preferidos do titular da coluninha aqui:

* “Veias abertas da América Latina”.

* Em homenagem aos milhares de brasileiros que, nas ruas ou não, ainda sonham com um Brasil melhor, vale sempre lembrar a citação atemporal de Galeano:

* “A utopia está lá no horizonte…

* Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos.

* Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos.

* Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei.

* Para que serve a utopia?

* Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”.

Assuntos desta notícia