Exame confirma que lutador de taekwondo morreu de leptospirose

Caso de Euriberto foi parar nas telas do Jornal Nacional
Euriberto Neto havia reclamado de falta de atendimento em unidades de saúde do Estado

Deu positivo para leptospirose o exame entregue à família do lutador de taekwondo e cabo do Exército, Euriberto Pereira Gomes Neto, 20 anos. Ele morreu no dia 15 de março, em Rio Branco. Na véspera da morte, ele havia reclamado que tinha passado por três unidades de saúde e não teve atendimento, mesmo apresentando os sintomas da doença causada pela urina do rato.

Dois dias após a morte de Euriberto, o secretário estadual de Saúde, Armando Melo, ressaltou que já foi determinada a abertura do processo investigatório administrativo para apurar se houve negligência médica no atendimento oferecido ao jovem.

“Não podemos afastar a possibilidade de negligência, mas precisamos investigar as circunstâncias que se deu todo o processo de atenção ao paciente. Será realizado uma investigação, que contará com relatório individual de todos os profissionais que tiveram contato com o paciente. Concluídas todas as etapas é que poderemos adotar as medidas administrativas e punitivas junto aos conselhos de classe. Sobre a conduta de ele ter sido liberado, isso pertence ao médico. O Estado não interfere na conduta médica”, falou o secretário, na ocasião.

Ainda durante a coletiva, Armando Melo destacou que os primeiros exames realizados no jovem tinham dado negativo para a dengue e indeterminado para a leptospirose. O Estado tem até 120 dias, previsto por lei, para concluir as investigações e apontar os culpados, caso seja comprovada o erro médico.

Desde os primeiros sintomas, a suspeita da família era que fosse leptospirose, já Euriberto ajudou a sogra durante a cheia do Rio Acre, que atingiu mais de 87 mil pessoas em Rio Branco em fevereiro e março. A casa da sogra, localizada no bairro João Eduardo, foi atingida pelas águas e ele ajudou a fazer a mudança. (Foto: Cedida)

Assuntos desta notícia