Pular para o conteúdo

Secretário do MEC elogia modelo de ensino do Acre

Tião apresentou programas educacionais realizados no Acre. (Foto: Secom Acre)
Tião apresentou programas educacionais realizados no Acre. (Foto: Secom Acre)

O governador Tião Viana recebeu na Casa Civil na quinta-feira, 16, o secretário de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação (MEC), Paulo Gabriel Nacif.

Tião Viana apresentou os principais programas da rede pública de ensino do Acre ao secretário e sua equipe. Nacif afirmou que o modelo é referência para o país. A reunião foi mediada pelo deputado federal, Sibá Machado e contou, ainda, com a participação do reitor da Universidade Federal do Acre (Ufac), Minoru Kinpara.



Programas como o “Quero Ler”, que tem a finalidade de levar a escolaridade para as pessoas acima de 15 anos até 45 anos que nunca aprenderam a ler, foi o principal destaque da agenda, seguido pelo ensino diferenciado oferecido pelo Centro de Referência e Inovações para Educação (Crie) e o Centro de Estudo de Línguas (CEL).

“O Acre tem feito um esforço explícito em todas as áreas de desenvolvimento da Educação, e cabe ao Ministério da Educação ser cada vez mais parceiro nesse processo”, afirmou Nacif.

Segundo o secretário, a vinda ao Estado servirá para que o MEC avance em ações para o Acre. “Vamos manter o aumento da escolaridade no Acre e possibilitar, ainda, o acesso de mais acreanos à educação superior. Nesse sentido, vamos reunir com toda a comunidade acreana para podermos avançar nessa direção”, garantiu.

Tião Viana destacou que o governo vem intensificando as ações dos programas de ensino para a garantia de resultados positivos para a Educação no Estado, que ocupa, nacionalmente, o quarto lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do país, e possui 95,5% de alunos matriculados na rede pública de ensino. “Agora nosso objetivo é certificar, em três anos, o fim do analfabetismo no Acre”, contou o governador.

Os novos desafios do MEC
Nacif contou que o MEC está repensando toda a área de alfabetização e educação de jovens e adultos. “Hoje, com um número menor [analfabetismo], temos que manter uma busca ativa para que, após vencer o analfabetismo, o jovem e o adulto continuem no mundo da leitura e da aprendizagem ao longo da vida. Precisamos criar um país onde a vontade de aprender ocorra do berço ao túmulo. E é nesse sentido que o Acre dá um grande exemplo para o Brasil”, concluiu o secretário. (Ana Paula Pojo / Agência Acre)

error: Conteúdo protegido!!!