Pular para o conteúdo

Conferência de Segurança Alimentar encerra com recorde de público

Mais de 600 pessoas participaram da Conferência. (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)
Mais de 600 pessoas participaram da Conferência. (Foto: Odair Leal/ A GAZETA)

Com o lema “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar”, a 4ª Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Cesan) encerrou com recorde de público. O encontro foi realizado nos dias 25 e 26 deste mês e, segundo o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar, Eudmar Bastos, mais de 600 pessoas participaram da Conferência. “Proporcionalmente, o Acre foi o Estado que mais teve participantes”, afirmou.

Durante os dois dias de Conferência foram discutidos avanços e obstáculos para a conquista da alimentação adequada e saudável. “O que é comida de verdade? Nós temos que fazer uma reconfiguração do comportamento da sociedade, com relação ao hábito alimentar. Nosso dia a dia, e a mídia nos diz que temos que comprar salsicha ou uma lata de sardinha, mas essa mesma mídia não nos diz a importância da agricultura familiar. Essa agricultura nos garante uma comida de verdade”, explicou Bastos.



Foram realizadas reuniões ampliadas em 80% dos municípios do Acre, nos meses de julho e agosto para realizar a 4ª Cesan. Representantes de diferentes segmentos da sociedade civil e dos governos locais reuniram-se para debater o tema. Essa foi a última etapa para a participação na Conferência Nacional de Saúde, que será realizada em novembro deste ano.

Segundo o coordenador-geral de Apoio à Implantação e Gestão do Sisan do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Élcio Magalhães, o objetivo da Conferência é conferir o andamento e fortalecer as políticas públicas de segurança alimentar. “É importante ouvir a sociedade, saber a opinião da sociedade quanto aos nossos programas e também sugestões tanto para melhorar, quanto novidades. Esse é o objetivo: realizar um diálogo, uma participação social”, disse.

Magalhães destacou que o interesse da população sobre esse tema mostra que é um assunto de grande relevância para a sociedade. “Essa foi a segunda maior Conferência que eu participei. É fundamental essa participação, o povo acreano mostrou que está afim do debate, que quer discutir. São políticas que mexem diretamente com as pessoas, e essa é a oportunidade”, concluiu o coordenador-geral.

error: Conteúdo protegido!!!