Pular para o conteúdo

“A crise é uma mentira para os bancos”, afirma vice-presidente do sindicato dos bancários no Acre

 Afirmando que “a crise é uma mentira para os bancos”, o vice-presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários (Seeb-Ac), “Neném”, confirma que os bancários do Acre irão deflagrar greve na próxima terça-feira, dia 6 de outubro, por tempo indeterminado.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou, na última Assembleia, sexta-feira, 25, o reajuste de 5,5% do salário. A categoria pede aumento de 16% e mais 5,7% de aumento real.



As negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) iniciaram em agosto. O vice-presidente explica que além do aumento salarial, a categoria pede mais contratações, isonomia, igualdade de oportunidade e segurança bancária. Além disso, vale-alimentação e também do acordo que não foi cumprido, referente à aposentadoria antecipada.

‘Neném’ destaca que os bancos possuem lucros recordes, que chega a R$ 36 bilhões e, por isso a proposta do governo é um desrespeito aos trabalhadores. Ele explica que a data para o começo da greve é uma forma de pressionar o governo.

“Estrategicamente os sindicatos deixaram para deflagrar a greve para depois da correria no banco. As pessoas vão muito ao banco no período de 25 do mês corrente a 5 do mês posterior”, revelou o vice-presidente.

Segundo o vice-presidente, a data para deflagração da greve seria a princípio no dia 26 de setembro. Porém o movimento grevista local não poderia se afasta do nacional. “Não poderíamos ser irresponsável de colocar os trabalhadores em greve e eles serem punidos. Se estivesse fora do acordo coletivo eles poderiam sofrer as sanções e perder inclusive, a PLE, participação dos lucros no banco”, contou Neném.

Greve dos bancários - OL (7)
Fotos: Odair Leal/ A GAZETA

Greve dos bancários - OL (6) Greve dos bancários - OL (2) Greve dos bancários - OL (1)

 

 

error: Conteúdo protegido!!!