Pular para o conteúdo

Promotor pede à Polícia Federal e ao MP do Paraná que investiguem a fundo a Milennium

 O promotor de Defesa do Consumidor do Ministério Público do Acre, Marco Aurélio, informou ontem, 10, que a promotoria vai pedir investigações em cima da Millennium. O funcionamento da empresa deverá ser analisado mais a fundo pelas polícias Federal e Civil, além do Ministério Público do Paraná, já que a firma diz que tem sede em Curitiba/PR.

Marco Aurélio quer abrir investigações, uma vez que a Millennium está tendo um crescimento grande com a subentendida promessa de oferecer lucros acima do normal, inclusive, acima de 200% ao mês. Para o promotor, não existe rentabilidade tão grande quanto este nível da Millennium no mercado financeiro, o que revela um traço de ela ser insustentável a longo prazo.



O promotor alegou que não pode afirmar que a referida empresa se caracterize como um tipo de pirâmide financeira, a exemplo das antigas Telexfree e da Bbom. Ainda assim, ele fez um alerta à população para as suspeitas em cima da Millennium e reforçou, a um site de notícias local que “Dinheiro não cai do céu, dinheiro vem com trabalho, vem com esforço”.

Foi por meio da Comissão de Direito do Consumidor do Ministério Público que teve início o bloqueio total da Telexfree. Suspeita de operar uma pirâmide financeira, teve as atividades bloqueadas em todo o Brasil,  em 18 de junho de 2013. Apenas no Acre, estima-se que 70 mil pessoas participaram do negócio, conhecido como marketing multinível. O valor do montante bloqueado não foi divulgado pela Justiça.

Nova plataforma deve acabar como problema relacionado ao sistema

Nova plataforma do sistema que vem fazendo a cabeça dos acreanos nos últimos dias promete acabar com os problemas relacionados a pagamento e instabilidade. Pelo menos é isso que apontam as lideranças da Milennium Prime. O lançamento do novo sistema deve ocorrer na próxima semana, sem prejuízos aos usuários.

Através do novo sistema, a pessoa vai solicitar um saque num dia e no máximo em 24 horas vai estar na conta dela, explicou Antônio Matos, durante uma reunião que ocorreu nesta semana em Rio Branco.

O encontro ocorreu após reclamações nas redes sociais sobre a falta de pagamento. O contrato prevê o pagamento dos valores proporcionais aos investimentos de forma diária para os usuários não estaria acontecendo. No início de agosto, o site da empresa ficou fora do ar deixando os usuários preocupados com os investimentos. Alguns usuários já teriam ameaçado realizar uma denúncia no Ministério Público.

Em todo Brasil, estima-as que pelo menos 200 mil pessoas estão filiadas à Milennium Prime. No Acre, estima-se que haja pelo menos quatro mil usuários.

 

 

error: Conteúdo protegido!!!