PMDB rompe com o Governo Federal

O Diretório Nacional do PMDB, reunido na Câmara dos Deputados esta terça-feira, 29, decidiu  por aclamação romper a aliança com o Governo Federal. Ficou decidido  ainda que os seis ministros e os filiados do partido  que ocupam cargos no Governo Federal entreguem seus postos.

O Diretório Nacional estabeleceu ainda que os ministros peemedebistas ocupantes de cargos no Governo Central que descumprirem a determinação estarão sujeitos à  expulsão do partido. O vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, não compareceu à  reunião sob o argumento de não querer influenciar a decisão.

A reunião, que durou menos de cinco minutos, foi comandada pelo primeiro vice-presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR). Segundo ele, ninguém mais está autorizado, a partir de hoje, a exercer qualquer cargo federal em nome do PMDB. O partido detém a maior bancada na Câmara dos Deputados (68 deputados).

 Pionerismo – Segundo Flaviano Melo, o diretório do PMDB acreano foi um dos dez primeiros diretórios estaduais a defender a saída do partido do Governo Dilma Roussef. Quanto à decisão desta terca-feira, Flaviano  foi enfático: “Nunca vi   os peemedebistas tão alegres como nesta reunião quando o PMDB desembarcou do Governo Dilma. Só mesmo na véspera da posse de Tancredo Neves”. Já a deputada estadual Eliane Sinhasique disse que ficou feliz de ver “o  PMDB coerente com seus ideais. O dia de hoje é o ponto da virada para um novo Brasil”.

 

Assuntos desta notícia