Nada de novo

A iniciativa foi boa por proporcionar o debate de algumas questões importantes, mas os resultados foram frustrantes da visita do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, ao Estado, anteontem.

Aquilo que mais os empresários desejavam ouvir do ministro, que seria o que o atual Governo Federal tem a oferecer em matéria de recursos para os diversos segmentos da agropecuária e da indústria, o ministro não acenou com absolutamente nada.

E nem poderia, porque faz parte de um governo que até agora foi incapaz de, pelo menos, contornar a grave crise econômica e política, deteriorando ainda mais os principais indicadores econômicos. Além, de representar um governo ilegítimo e a cada dia com a popularidade mais baixa.

Sobre alguns temas debatidos, o ministro também não acrescentou nada de novo. Que os estados da Amazônia precisam conciliar o desenvolvimento através das chamadas cadeias produtivas com a preservação ambiental, isso o Acre já vem fazendo no atual Governo, embora ainda de forma incipiente, mas que já está dando bons resultados.

O que não se pode aceitar é a sugestão de arrendar terras para os empresários do Mato Grosso vir plantar soja aqui no Estado. Eles, como o próprio ministro, são péssimos exemplos de desenvolvimento com preservação da floresta e seu ecossistema.

Assuntos desta notícia