Câmara de Vereadores pretende modificar Lei que regula tempo de espera em filas de bancos

 O presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, Manuel Marcos (PRB), e o diretor do Serviço de Proteção ao Consumidor do Acre (Procon/AC), Diego Rodrigues, se reuniram na manhã de ontem, 7, para tratar sobre a alteração na Lei municipal lei 1.635/07, que versa sobre o tempo de espera em filas de estabelecimentos bancários da capital.

De acordo com Manuel Marcos (PRB), será apresentada uma emenda no qual pontua que agências bancárias poderão ser fechadas caso o usuário espere pelo atendimento mais de 30 minutos na fila, em dias normais, e 45 minutos em dias de pico. “Estaremos propondo punições mais pesadas aos bancos reincidentes, pois só multa não muda a prática deles. Com essa alteração, as agências ficarão 24 horas sem funcionar”, disse.

Ele frisou que desde o ano passado a Câmara Municipal estuda a possibilidade de endurecer as punições contra os bancos da Capital. “Desde o ano passado, a gente trabalha com essa alternativa de endurecer contra os bancos, porque isso é uma falta de respeito. Só assim eles vão respeitar quem procura uma agência bancária”.

O diretor do Procon pediu urgência na mudança da lei. “A legislação muitas vezes acaba sendo omissa e nos impedindo de fazer valer os nossos direitos. Por essa razão, estamos propondo sanções mais duras contra esse abuso”, disse ao lembrar sobre a visita feita a uma agência bancária na semana passada.

“Visitei a agência do Bradesco, na Rua Marechal Deodoro, Centro de Rio Branco, na semana passada. Um total desrespeito à população. Movemos uma ação civil pública pedindo a interdição do prédio da instituição por causa das filas, até que o banco faça as adequações necessárias para o atendimento ao cliente”.

 

Assuntos desta notícia