Pular para o conteúdo

Pesquisas apontam crescimento da pobreza no Acre em 2019

Pesquisas de instituições renomadas mostram que o Acre ficou mais pobre em 2019. Parece que a política de fortalecimento do agronegócio do governo de Gladson Cameli ainda não decolou.
Aliás, muitas coisas ainda estão paradas. Um levantamento feito pelo portal G1 mostra que o governador cumpriu, em um ano de gestão, apenas 4 das 64 promessas feitas durante a campanha eleitoral.
Um estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) aponta que o Acre está entre os 10 estados com maior desigualdade de trabalho em 2019. O índice Gini, que é medido de uma escala de 0 a 1 (quanto mais próximo de 1, mais desigual), informou que o Acre apresenta índice de 0,65.
Em comparação a 2014, o estado ficou mais pobre 5 pontos, saindo da casa dos 0,60.
Outro levantamento também mostra que o Acre não tem avançado em políticas de crescimento econômico. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o Estado é o segundo mais pobre do país.
O levantamento traz uma lista com os 10 piores Estados em arrecadação no Produto Interno Bruto (PIB), medida que avalia a riqueza produzida do país.
No ranking, os três piores estados em arrecadação são da região Norte. Em primeiro lugar ficou Roraima, o PIB gira em torno de R$ 10,35 bilhões. Em segundo lugar está o Acre com uma baixa arrecadação estimada em R$ 13,62 bilhões anuais e, em terceiro, o Amapá, com PIB de R$ 13,86 bilhões.