ARTIGO – Transitoriedade

 O Mundo está voltando outra vez ao recolhimento por causa da pandemia. Nada está seguro, nada há tranquilidade ou paz.

Quando lembraremos que o planeta viverá sem nós e nossa ingerência? Sem a nossa presença?

Quando saberemos que se morrêssemos todos hoje ele se regeneraria, as matas se curariam e os animais voltariam para seus campos? Ele não precisa de nós aqui, estamos como hóspede apenas.

Quando lembraríamos que somos passageiros do tempo e não donos de nada?

Quando descobrimos que um simples vírus, nos controla a vida e nos prende no medo e em cadeias de luxos, mas cadeias?

Quando aperceberemos que nossa revolta, nosso dinheiro, poder, cor da pele ou religião não valem de nada?

Que mensagem a Vida está nos enviando?

Pessoalmente, nunca senti tanto a transitoriedade deste planeta.

Nunca me senti tão apenas uma hóspede desta Terra como agora.

Nunca me senti tão desenraizada de tudo e agradeço a ação benéfica da pandemia.

O fogo pode destruir, mas purifica. Um vírus pode matar, mas ajuda no desenvolvimento espiritual.

Devemos aproveitar (a Covid’-19) e sermos nós mesmos, com menos filosofia e mais mudança interna e individual.

Menos “eu” e mais essência que transcenda a tanta matéria que aprisiona.

Beth Passos 

Jornalista 

Assuntos desta notícia