Mais de 65% dos brasileiros querem fazer alguma atividade cultural após a flexibilização, aponta pesquisa Itaú Cultural/Datafolha

Participar de atividades culturais é um dos itens que está nos planos da maioria dos brasileiros, quando houver relaxamento das restrições de convívio social, segundo pesquisa realizada pelo Itaú Cultural, em conjunto com o Datafolha.

Intenção é maior entre os solteiros e indivíduos sem filhos. Cinema, shows, atividades infantis, biblioteca e centros culturais lideram a lista de planos na retomada (Foto: Ilustrativa)

De acordo com o levantamento, 66% da população tem a intenção de participar de ao menos uma atividade do gênero nos próximos meses. O índice é maior que os 52% que declararam ter participado de pelo menos uma atividade cultural nos últimos 12 meses antes da pesquisa.

O levantamento ouviu, por telefone, 1.521 indivíduos, de 16 a 65 anos, em todas as regiões do país, entre os dias 5 e 14 de setembro. A pesquisa tem margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

A expectativa de retomada das atividades culturais é homogênea em todas as regiões do país (considerando as flutuações da margem de erro) e apresenta menor intensidade apenas na região Centro-Oeste (53%).

O interesse na retomada da agenda cultural é mais intenso entre os indivíduos de 25 a 34 anos (74%) e entre os jovens de 16 a 24, estrato em que 71% planejam voltar à programação. O índice é menor no segmento de adultos de 35 a 44 anos (61%) e respondentes de 45 a 65 anos (60%).

O grupo dos indivíduos sem filhos mostra mais interesse na retomada cultural (73%) do que o grupo dos que declaram ser pais (62%). O interesse em participar de atividades culturais também é maior entre os solteiros (70%) do que entre os indivíduos casados (61%).

Atividades mais desejadas

Segundo a pesquisa, em questionamento de múltipla escolha, cinema é apontado por 44% dos indivíduos como atividade a ser realizada na retomada da agenda cultural. 40% manifestaram interesse em shows, 38% em atividades infantis, 36% apontaram bibliotecas, mesmo percentual indicado para centros culturais. Teatro ficou com 30%, seguido por museus (29%), dança (29%), circo (29%) e saraus (25%).

Índice de retorno dos frequentadores

A pesquisa também investigou o potencial de retorno às atividades culturais que os indivíduos realizaram antes da pandemia.

Entre os que estiveram em bibliotecas, o índice declarado de retorno foi de 65%. Centros Culturais ficaram 59%, seguido por cinema (58%), shows musicais (56%), atividades infantis (55%), saraus (54%), circo (52%), dança (51%), teatro (50%) e museus (44%). (Assessoria Itaú Cultural / Conteúdo Comunicação)

Assuntos desta notícia