MPF questiona abandono da “Casa dos Povos da Floresta” em Rio Branco

Ao constatar a situação do prédio conhecido como “Casa dos Povos da Floresta”, em Rio Branco, capital do Acre, o Ministério Público Federal (MPF) decidiu questionar os motivos do abandono à Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM), órgão do Governo do Acre que é o responsável pela manutenção do local.

Local servia para abrigo de importante acervo sobre os povos tradicionais do Acre (Foto: PR/AC – Lucas Dias)

Segundo o procurador da República Lucas Costa Almeida Dias, que verificou o abandono do local pessoalmente, não há sequer no site da FEM qualquer menção à “Casa dos Povos da Floresta” como espaço cultural na cidade, o que demonstra ainda mais claramente o descaso com o bem público que tinha por missão a preservação e divulgação dos costumes, crenças e tradições dos povos da floresta (indígenas, ribeirinhos e seringueiros).

Além do abandono estatal, o prédio também tem sido ocupado e consequentemente depreciado por pessoas em situação de rua.

Lucas Dias cobrou respostas da FEM sobre as razões para o abandono do local, bem como se há plano para revitalização ou manutenção do espaço e retorno das atividades e ainda a justificativa para não inclusão do museu no sítio eletrônico da Fundação. (Ascom MPF/AC)

Assuntos desta notícia