ARTIGO: Demanda solitária 

A morte por corona vírus é ainda mais dolorosa do que muitos imaginam. É dolorosa para a vítima, dolorosa para seus entes que não conseguem sequer segurar na sua mão, e dolorosa para os profissionais de saúde que testemunham essa morte solitária.

Para os enlutados é uma morte de difícil elaboração, onde o enfermo é rapidamente tirado de seu contato, levado sem chance de despedida, sem visita no hospital, sem palavras de esperança ou consolo. São mortes feita de espera, distância, abandono, ausência de contato, de cuidar da separação. Morte sem velório, uma morte invisível.

É uma doença não vista porque não se vê os enfermos. Daí tantos seguem não acreditando e fingindo que não tem nada acontecendo.

Mas tem sim.

Todo dia são atendidos parentes de vítimas e profissionais de saúde buscando ajuda psicológica para lidar com suas perdas e traumas. E a cada dia a demanda aumenta.

Sinto informar, mas o pessoal que vai organizar a complexa logística da vacinação é o mesmo que praticamente deixou vencer seis milhões de testes pra Covid de última geração em um galpão em Guarulhos.

Ou seja, o bando de militares incompetentes, que sempre foram vendidos como experts em logística, chefiados pelo general travestido de ministro da saúde.

Beth Passos 

Jornalista 

Assuntos desta notícia