Sesacre se pronuncia após acusações do Sindmed-Acre

A Secretaria de Estado de Saúde fez esclarecimentos referentes a dois informes divulgados pelo Sindicato dos Médicos do Acre, o primeiro no sábado, 27, e o segundo neste domingo, 28.

O primeiro informe do Sindmed-Acre apontava diversas falhas no sistema público de saúde, sendo eles: monitores utilizados para verificar a situação de pacientes pifados, no Into; e medicação e demais insumos para atender os internados escassos.

O segundo informe dizia: “Acabou o oxigênio no hospital de Tarauacá”.

Após os episódios, o Governo do Estado se pronunciou por meio de notas. Confira:

 

Resposta ao Informe 1:

“A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), em resposta à nota dos Sindicatos dos Médicos sobre funcionamento dos serviços da saúde, esclarece que:

Nas últimas semanas estas unidades têm apresentado taxas de ocupação superiores a 90% na média. Informação amplamente divulgada pelo Estado todos os dias inclusive na pessoa do próprio governador do Estado do Acre. A transparência é marca da gestão Estadual da pandemia.

Os pacientes com indicação de UTI, na rede pública, recebem o tratamento necessário nas salas vermelhas das enfermarias que contam com todo suporte de UTI, enquanto aguardam a liberação da vaga.

O Governo do Estado, em mais um esforço para ampliação de leitos para uso no tratamento da covid-19, transferiu os pacientes do Hospital do Idoso para uma das enfermarias da FUNDHACRE e está em fase final de preparação do Hospital do Idoso para receber pacientes com covid-19, inclusive com a instalação de maos uma usina de Oxigênio. Serão mais 40 leitos disponíveis a partir deste domingo, 28.

O Estado do Acre contratou profissionais não só para capital mas para o interior do Estado.

As equipes de saúde se revezam em plantões de 12h e muitos destes profissionais estão na linha de frente do atendimento às pessoas desde o início da pandemia. Mesmo trabalhando em escalas e quantitativos adequados às normativas profissionais, não há como não estarem cansados. A condição de desgaste gerado na pandemia é diferente de tudo que já vivenciaram na saúde. O sofrimento gerado, familiares e amigos (quando não os próprios trabalhadores) infectados, alguns de forma grave e até irreversível também afetam os trabalhadores da saúde. A todos eles rendemos nosso respeito e homenagem todos os dias.

O INTO dispões de equipamentos suficientes para a adequada atenção aos pacientes. Na última semana mais um lote de bombas de infusão foram disponibilizadas ampliando a capacidade do parque de equipamentos. Esforço adicional têm sido feito para ampliar o backup destes equipamentos ampliando a reserva técnica.

Não há falta de medicamentos. Os estoques são monitorados em tempo real, remanejados entre as unidades e substituídos dentro dos protocolos clínicos validados e utilizados nos hospitais.

Por fim, todas as Unidades de saúde encontram-se completamente abertas para receber a visita de membros do sindicato doa médicos – e de qualquer outra entidade representativa dos trabalhadores em saúde – e à disposição para os esclarecimentos necessários.

Almejando sempre cultivar as melhores relações entre sindicatos e governo entendemos como fundamental   a checagem prévia de informações com o intuito de prestar a melhor informação à sociedade.

Sobre o hospital do Idoso, já está sendo finalizado a parte das usinas, da parte elétrica, é ele já estará preparado para apartar dessa noite de sábado, 27, começar a iniciar o recebimento dos pacientes. De forma alguma, foi recusado contratar profissionais recém formados.

 

Alysson Bestene Lins

Secretário de Estado de Saúde”

 

Resposta ao Informe 2:

“A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) esclarece que é inverídica a informação de que falta oxigênio no Hospital Dr. Sansão Gomes, em Tarauacá.

Em nenhum momento a direção do hospital foi procurada pelo Sindicato dos Médicos do Acre, que divulgou a informação sem confirmação, motivo pelo qual pedimos retratação pública.

De fato, a unidade não possui usina de oxigênio, mas recebe carga suficiente a cada semana, conforme cronograma de distribuição da Sesacre para os municípios.

Nos últimos 4 dias, Tarauacá recebeu um volume significativo de pacientes com Covid-19, os quais ocuparam 100% de dos leitos hospitalares e passaram a fazer uso do oxigênio em alta escala.

O hospital de Tarauacá possui controle de uso de oxigênio, sendo possível estimar a quantidade necessária para realização de pedido antecipado à Sesacre, sem qualquer prejuízo no atendimento.

Reforçamos, portanto,  que a unidade não deixou de ter oxigênio para ofertar aos pacientes. A Sesacre prontamente atendeu todos os pedidos e abasteceu o hospital duas vezes, somente nesta semana.

 

Laura Pontes

Gerente-geral do Hospital Dr. Sansão Gomes”

Assuntos desta notícia