Teatro GPT comemora 30 anos de atuação

Arte e resistência. É com esse espírito que o Grupo do Palhaço Tenorino – Teatro GPT comemora três décadas de atuação contínua no cenário cultural acreano. Na bagagem, 15 espetáculos, com inúmeras circulações realizadas tanto no Acre como em outros estados brasileiros, quatro publicações, oficinas de formação, intercâmbios com outros artistas, prêmios recebidos, participação em festivais e na construção e implementação de políticas públicas para a cultura. E muita vontade de fazer teatro.

Não são poucos os motivos que o GPT tem para celebrar essa trajetória, afinal, não é fácil se manter ativo por tanto anos. Por isso, desde o início de 2020, o grupo vinha pensando uma programação especial totalmente dedicada ao seu público na II Semana GPT de Teatro: oficinas, lançamento de portifólio, debates e apresentações teatrais. Entretanto, foram tantos acontecimentos ocorridos desde então, que o grupo precisou repensar as suas ações, mantendo a alegria a ser transmitida para seu público no contexto de calamidade em que o Acre se encontra: pandemia, dengue, alagações e crise migratória.

Sendo assim, as comemorações se iniciam, com a abertura da II Semana GPT de Teatro, levando arte a quem, nesse momento, mais do que nunca, tanto precisa: as famílias em situação de alagação abrigadas no Parque de Exposições Marechal Castelo Branco, na capital acreana. Com o financiamento da Prefeitura Municipal de Rio Branco, através do Edital 02/2020 do Fundo Municipal de Cultura, o GPT inicia a programação no dia 1º de março com o espetáculo “As Confiadas”, de Marilia Bomfim. Nos dias 2 e 4, respectivamente, apresentará, também no Parque, os espetáculos “A Menina e o Palhaço”, de Marilia Bomfim e Dinho Gonçalves, e “O Livro da Alegria”, criação coletiva do grupo. As apresentações serão exclusivas para as famílias do abrigo e seguirão todos os protocolos sanitários sugeridos para a prevenção do contágio da Covid-19.

“Frente a todos os acontecimentos que estamos vivenciando no Acre, o GPT não poderia se comportar de maneira diferente. Conscientes do importante papel que a arte desempenha, optamos por abrir a II Semana GPT de Teatro no Parque de Exposições, nos unindo às ações realizadas pela Prefeitura de Rio Branco e dando nossa contribuição para as famílias desabrigadas”, comenta Dinho Gonçalves, um dos fundadores do grupo.

E a programação não se encerra por aí. Além das apresentações citadas, a II Semana GPT de Teatro inclui outras atividades, que serão realizadas tão logo a situação de calamidade se normalize. Com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, através do Edital 02/2020 – Arte e Patrimônio, disponibilizado pela Fundação Elias Mansour, o grupo está preparando a publicação impressa de seu portifólio, além de palestra, oficina e outras apresentações teatrais.

“Sentimo-nos felizes por tantas conquistas e por termos resistido ao longo desses 30 anos. Estamos vivendo um momento muito difícil para a arte em geral, mas aguardamos ansiosos para poder estar novamente com o nosso público. O momento é de reflexão e de reinvenção, onde o GPT tem se adaptado aos novos tempos e prosseguido com sua produção nesse novo normal imposto pela pandemia da Covid-19 e demais acontecimentos atuais. Não paramos! E brevemente traremos novidades”, finaliza Marilia Bomfim, uma das fundadoras e presidente do GPT.(Assessoria)

 

Assuntos desta notícia