Opinião: Sol entre nuvens

Semana passada, prometi quarar no sol até o inverno chegar, lembram? Na verdade, nem inverno mencionei. Frio, o que é que é isso mesmo? Pois que um dia depois da coluna ser publicada o tempo fechou por aqui. Sol só entre nuvens, muitas nuvens. Os dias ficaram escuros, gelados, sem graça. E choveu. O sábado de carnaval foi de chorar, de chorar mesmo.

Já na sexta, recebi de mais de um grupo de whatsapp um vídeo que mostrava Olinda vazia, uma música de fundo, nem prestei atenção na letra, mas as ruas vazias em fevereiro… Nossa! E olha que eu nem sou do carnaval. É que os lamentos de amigos e desconhecidos somados à chuva, ao escuro e ao frio deixaram a semana assim meio devagar, sabe? Sobre carnaval, Julián Fuks escreveu lindamente em sua coluna do UOL no sábado, vale dar uma buscadinha.

Mas é sobre virada de tempo que eu queria falar com vocês. A previsão aqui, é que chova até o próximo sábado. Quando li que seria assim me deu uma desesperança. Uma desesperança acompanhada da reflexão que me visita dia sim, outro também. Como insistimos em esquecer a nossa falta de controle sobre o mundo, não? E sobre nós mesmos, então.

Há de planejar, claro. Se colocar disponível e – ainda mais importante – disposto a realizar o que se quer para si. Mas há também de contar com algum desvio de rota. Quer tomar sol, tudo bem linda, mas é preciso que o sol apareça primeiro. Se ele aparecer, que te encontre acordada, de biquíni e protetor. Mas esse SE é determinante, não?

SEs que nem sempre nos agradam. Mas que, por vezes, podem ser abertura para perguntas que valem o investimento. Esse sol que estamos buscando é mesmo o sol literal? A falta e o desejo não podem também ter outros nomes? Calor, luz, por exemplo?

Fato é que mantive meu biquíni ao alcance dos olhos e segui acordando cedo. Vai que a previsão erra? Vai que o ter coragem para largar o edredom uma hora antes é o sol que eu procurava? Vai que ainda cabe – e sempre cabe – esperançar? Vai que. Boa semana queridos.

(*) Roberta D’Albuquerque é psicanalista, autora de Quem manda aqui sou eu – Verdades inconfessáveis sobre a maternidade e criadora do portal A Verdade é Que…

Assuntos desta notícia